PATROCINADORES

Minoria promete obstrução na Câmara contra Previdência e garante que governo não tem votos

BRASÍLIA (Reuters) – O líder da Minoria na Câmara dos Deputados, José Guimarães (PT-CE), prometeu nesta segunda-feira, pouco antes da abertura dos trabalhos do Legislativo, uma dura obstrução às votações na Casa até que a PEC da reforma da Previdência seja definitivamente retirada de pauta e garantiu que o governo está longe de obter os votos necessários para aprová-la.

O líder adiantou ainda que as centrais sindicais devem promover um ato contra a proposta na terça-feira e planejam mobilização nacional no dia 19 de fevereiro, data a partir da qual está prevista a votação da reforma.

“Temos trabalhado com as lideranças, com as dissidências… posso assegurar para o país que o governo não tem sequer 250 votos”, disse o líder a jornalistas. “Não é bravata.”

Segundo Guimarães, a oposição também deve ser reunir na terça-feira, para definir uma estratégia contra a reforma e contra outras pautas das quais discorda, caso do projeto sobre a privatização da Eletrobras e da matéria que trata do contingenciamento de recursos.

“A ideia é aumentar o tom”, avisou. “Vamos fazer o enterro simbólico da PEC no dia 19.”

O Congresso inicia nesta segunda-feira seus trabalhos, tendo como pano de fundo a expectativa em torno da reforma da Previdência, com votação prevista para a semana do dia 19 de fevereiro.

Por se tratar de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), a reforma da Previdência precisa do voto favorável de pelo menos 308 entre os 513 deputados, em dois turnos de votação. Depois, também precisa ser analisada pelo Senado.

Mais cedo, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou, em nota, que não pretende retirar a reforma da pauta da Casa antes do dia 20 de fevereiro, uma terça-feira, mas deixou em aberto a possibilidade de retirada após essa data.

A nota foi divulgada em resposta a uma reportagem desta segunda-feira do jornal Folha de S.Paulo, segundo a qual o presidente da Câmara pretende retirar a PEC de pauta diante da insuficiência de votos favoráveis. A ideia, diz a reportagem, seria transferir o fracasso pela não aprovação da medida ao Palácio do Planalto.

(Reportagem de Maria Carolina Marcello)

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte − catorze =

Pergunte para a

Mônica.