Document
PATROCINADORES

Maia diz que pediu ao governo avaliação de votos a favor da privatização da Eletrobras

BRASÍLIA (Reuters) – O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta quarta-feira que já pediu ao governo uma estimativa dos votos que tem para eventualmente aprovar o projeto da privatização da Eletrobras.

A proposta tem apresentado uma tramitação arrastada, mas a expectativa entre governistas e até do próprio Maia é de votá-la no plenário da Câmara ainda no mês de maio. Por ora, a medida aguarda deliberação em uma comissão especial da Casa.

“Já pedi ao governo que me diga quantos votos a base tem para avaliar se dá para votar ou não o projeto da Eletrobras”, disse o presidente da Câmara a jornalistas.

Na semana passada, Maia afirmou que ainda não havia condições para votar o projeto.

Sobre outra controversa proposta que também vem enfrentando resistências na Câmara –o projeto da reoneração da folha de pagamento de alguns setores da economia– o deputado disse ainda não ter recebido um “sinal verde” dos líderes de bancada para colocá-la em votação.

“Porque pautar para perder, é melhor esperar um pouco”, avaliou Maia.

O presidente da Casa disse ainda acreditar que haverá quórum, mesmo nesta semana atípica por conta do feriado na terça-feira, tanto para a análise de algumas urgências na sessão da Câmara quanto para votar, em sessão conjunta do Congresso, um projeto que remaneja recursos para cobrir a inadimplência da Venezuela e de Moçambique em operações nas quais o Brasil é o garantidor de crédito.

Maia afirmou, no entanto, que é responsabilidade do governo do presidente Michel Temer trabalhar pela presença de parlamentares da base para garantir a votação.

“Vai ter quórum para votar as urgências e depois votar a sessão do Congresso, votar o PLN que precisa votar no dia de hoje”, afirmou. “O governo tem que estar melhor  articulado, aqui se não desmobiliza a base.”

(Reportagem de Maria Carolina Marcello)

tagreuters.com2018binary_LYNXMPEE411Q7-VIEWIMAGE

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.