PATROCINADORES

Greve contra Macri paralisa Argentina; bancos e exportações são afetados

Por Nicolás Misculin

BUENOS AIRES (Reuters) – Uma greve geral em protesto contra as políticas econômicas do presidente da Argentina, Mauricio Macri, paralisou o país nesta segunda-feira, afetando importantes atividades como a exportação de grãos e o sistema bancário.

A Confederação Geral do Trabalho (CGT), a principal central sindical da Argentina, convocou a greve de 24 horas junto com outros importantes grupos para protestar contra os ajustes na economia realizados pelo governo e pedir aumentos salariais em linha com a elevada inflação esperada para este ano.

Geralmente bastante engarrafadas, as ruas de Buenos Aires tinham trânsito leve nesta segunda-feira, devido à ausência do transporte público.

Na região de Rosário, onde se encontra o maior pólo agroexportador da Argentina, os embarques de grãos foram paralisados pela greve de trabalhadores do porto e de funcionários da alfândega.

“Não conseguimos exportar nada. Infelizmente, estará paralisado o dia todo”, disse Guillermo Wade, gerente da Câmara de Atividades Portuárias e Marítimas (CAPyM).

Embora os mercados financeiros estejam funcionando, espera-se um dia com pouca atividade porque os trabalhadores bancários também aderiram à paralisação.

(Reportagem adicional de Maximiliano Heath)

tagreuters.com2018binary_LYNXMPEE5O131-VIEWIMAGE

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete − catorze =

Pergunte para a

Mônica.