Document
PATROCINADORES

Chuvas torrenciais matam ao menos 81 no oeste do Japão

Por Kiyoshi Takenaka e Issei Kato

KURASHIKI, Japão (Reuters) – O número de mortos devido a chuvas torrenciais e deslizamentos no oeste do Japão subiu para 81 neste domingo, com dezenas de pessoas ainda desaparecidas após mais de 2 mil terem sido resgatadas depois de terem ficado temporariamente presas na cidade de Kurashiki.

Ordens de retirada estão em vigor para quase 2 milhões de pessoas e alertas de deslizamento foram emitidas em muitas províncias.

No oeste do Japão, serviços de emergência e equipes militares usaram helicópteros e barcos para resgatar pessoas de rios que transbordaram e de prédios, incluindo hospitais.

Dezenas de funcionários e pacientes, alguns ainda de pijama foram resgatados do isolado Mabi Memorial Hospital em barcos a remo por membros das Forças de Defesa do Japão.

Um funcionário da prefeitura disse que 170 pacientes e funcionários foram retirados do hospital, enquanto a emissora NHK informou mais tarde que cerca de 80 pessoas ainda estavam presas.

“Estou muito grato à equipe de resgate”, disse Shigeyuki Asano, paciente de 79 anos que passou a noite sem eletricidade nem água. “Estou muito aliviado de ter sido libertado daquele lugar escuro e fedido.”

Imagens de televisão mostraram uma extensiva operação de resgate, com cerca de 2.310 resgatadas na cidade, de acordo com a NHK.

O número total de mortos pelas chuvas no Japão subiu para pelo menos 81 no domingo, depois que as águas das enchentes forçaram vários milhões de pessoas a saírem de suas casas, informaram as reportagens da mídia e a Agência de Gerenciamento de Desastres e Incêndios.

Outras 58 estão desaparecidas, segundo a NHK, e mais chuva deve atingir algumas regiões pelo menos por mais um dia. A chuva provocou deslizamentos de terra e inundações, prendendo muitas pessoas em suas casas ou nos telhados.

(Texto de Elaine Lies e Linda Sieg, reportagem adicional de Junko Fujita, Makiko Yamazaki, Maki Shiraki e William Mallard)

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.