Document
PATROCINADORES

Justiça barra tabelamento de frete no RN e fala em “evidente” intervenção do governo

Por Ricardo Brito

BRASÍLIA (Reuters) – A Justiça Federal do Rio Grande do Norte concedeu liminar para suspender os efeitos das normas que regulamentam a Política de Preços Mínimos de Transporte Rodoviário de Cargas, o chamado tabelamento de preços de frete, para duas empresas sediadas no Estado, conforme a íntegra da decisão obtida pela Reuters.

As empresas L. Praxedes Gomes e Maresal Sociedade Salineira Ltda argumentam que tem como atividade a extração e o beneficiamento de sal marinho e que escoam a produção por meio da contratação de transporte de carga de pessoas físicas e jurídicas cujo frete é fixado em comum acordo.

Ambas disseram que a Medida Provisória 832, de 2018, e a resolução 5.820, de 2018, que instituiu a política de preços para o transporte de cargas, ferem os princípios constitucionais da livre iniciativa e concorrência.

O governo federal decidiu tabelar o frete atendendo a reivindicação dos caminhoneiros, que realizaram uma greve de mais de 10 dias no fim de maio, que paralisou o transporte rodoviário de cargas.

Em sua decisão, o juiz federal Orlando Dontato Rocha afirmou que “resta evidente a intervenção” do governo federal na economia ao impor regulamentação ao setor de transporte rodoviário de cargas, em ofensa à Constituição.

O magistrado disse também que o efeito vinculante da norma que visa a regulamentar o mercado de frete a uma tabela “pré-estabelecida” demonstra “flagrante inconstitucionalidade”.

“Diante do exposto, defiro o pedido de tutela de urgência requerido na inicial, para suspender imediatamente os efeitos vinculantes da Medida Provisória nº 832/2018, bem como da Resolução nº 5.820/2018, para contratação de transporte rodoviário de carga pelas empresas-autoras e, consequentemente, das sanções estabelecidas no art. 5º, §4º da referida MP”, decidiu o juiz.

O magistrado decidiu aplicar multa diária, em caso de descumprimento, no valor de 1 mil reais na pessoa do diretor da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) no Rio Grande do Norte.

Na decisão, o juiz deixa claro que o efeito da decisão se restringe às duas empresas, mas a medida pode abrir precedente para outras.

A AGU afirmou que ainda não foi notificada da decisão e que, assim que isso ocorrer, vai recorrer para reverter a decisão da 8ª Vara Federal do Rio Grande do Norte.

Já a ANTT afirmou em nota à imprensa que “já foi intimada” sobre a decisão e que está “avaliando o alcance da liminar concedida” juntamente com a AGU.

“Informamos que a tabela frete continua em discussão e análise por parte da ANTT”, acrescentou a agência.

Na noite da véspera, o ministro dos Transportes, Valter Casimiro, disse que a ANTT publicaria nesta quinta-feira uma nova tabela de preços de frete com modificações.

(Por Ricardo Brito, reportagem adicional de Leonardo Goy)

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.