PATROCINADORES

Ação do Tesouro e do BC nos mercados está dentro do que pode ser feito, diz Guardia

BRASÍLIA (Reuters) – O ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, afirmou nesta quinta-feira que a atuação coordenada do Tesouro e do Banco Central nos mercados financeiros está de acordo com o que pode ser feito, refutando a ideia de que o Brasil esteja sofrendo uma espécie de ataque especulativo.

“A gente tem trabalhado de maneira conjunta, buscando reduzir a volatilidade do mercado, que é o nosso papel. O câmbio é flutuante, ele vai flutuar”, disse ele a jornalistas, acrescentando que o movimento de valorização do dólar é global, apesar das especificidades do Brasil, como o cenário eleitoral.

“Acho que a equação está equilibrada dentro do que nós podemos fazer”, afirmou ele.

Nas últimas semanas, o dólar tem disparado frente ao real, enquanto que as taxas dos DIs saltavam diante de temores dos mercados com a cena política e fiscal do país. Nesta sessão, o dólar já rondava o patamar de 3,90 reais e, nos juros futuros, cresciam as apostas de que o BC terá de elevar a Selic em breve, mesmo com a inflação baixa.

Assim, tanto o BC quanto o Tesouro têm atuado mais forte nos mercados por meio de leilões de swaps cambiais –equivalentes à venda futura de dólares–, compromissadas e títulos do governo.

Guardia voltou a dizer que os fundamentos externos do Brasil, como o fato de ser credor líquido em dólares, ajudava a amortecer as turbulências, mas manteve o mantra de que o país precisa continuar com o processo de reformas, como a da Previdência, que foi deixada de lado pelo presidente Michel Temer por falta de apoio político no Congresso.

(Reportagem de Mateus Maia)

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × três =

Pergunte para a

Mônica.