PATROCINADORES

Mansueto Almeida defende ajuste fiscal “duradouro”

O secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, disse nesta terça-feira (18) que o compromisso com o ajuste fiscal tem que ser “duradouro” para que o país volte a ter superávit primário. A expectativa do secretário é que as contas do governo voltem a ficar no azul entre o final de 2022 e o início de 2023. Ele destacou a importância de o Congresso aprovar a PEC Emergencial, que trata da contenção do crescimento das despesas obrigatórias, e também a reforma tributária.

“Ninguém quer pagar mais imposto. O empresário brasileiro sofre com a insegurança e as regras complexas. Precisamos andar com a agenda para melhorar o ambiente de negócios e incentivar o empreendedorismo”, afirmou.

Mansueto também falou sobre o cenário de juros baixos, que afeta a rentabilidade de quem investe em renda fixa.

“Acabou a época de comprar título público e ficar em casa. Quem quiser ganhar dinheiro vai ter que investir de fato na economia real, comprando ativos”, completou. O secretário participou do evento CEO Conference Brasil 2020, realizado pelo BTG Pactual, em São Paulo.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.