PATROCINADORES

Quarta onda de covid; aulas online voltando; subvariante assusta Portugal

Menos mortes, mais casos

O Brasil registrou em maio 3.176 mortes pela covid-19, o menor número mensal desde o início da pandemia. Os dados foram apurados pelo consórcio de veículos de imprensa junto às secretarias estaduais de saúde. O resultado do mês passado foi ainda menor que o de abril – que, com 3.691 mortes registradas, tinha, até então, a quantidade mais baixa de óbitos desde março de 2020, com 202 casos registrados. Apesar da queda nas mortes, os números indicam uma tendência de alta nas contaminações. A média móvel de novos casos por semana vista em 31 de março foi a maior em dois meses – e 48% maior do que a de duas semanas atrás.

Especialistas afirmam que o recente aumento de casos pode ser um indicativo de que estamos entrando em uma quarta onda da doença no Brasil, impulsionada por subvariantes da ômicron mais transmissíveis.

O que MONEY REPORT publicou:

Escolas do DF retomam ao online

Após dois meses de quedas nos indicadores que medem a incidência da covid-19, com diminuição constante nos números de casos ativos, mortes e taxa de transmissão da doença, os números da pandemia voltaram a crescer no Distrito Federal. No ambiente escolar, essa tendência fica mais nítida com a multiplicação de turmas deslocadas para o modelo remoto após casos positivos de covid. Desde quinta-feira (26), 12 turmas do sistema privado de ensino foram para o modelo online após registros da doença. O levantamento foi feito pelo Sindicato dos Professores em Estabelecimentos Particulares (Sinproep).

Piorou na Coreia do Norte

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que a situação sanitária na Coreia do Norte está piorando e lamentou a falta de informação e de cooperação das autoridades de Pyongyang, que asseguram que há cada vez menos casos de “febre”. “Atualmente, não podemos avaliar corretamente a situação in loco. Partimos do princípio de que as coisas estão piorando e não melhorando”, disse Michael Ryan, chefe de situações de emergência da OMS.

Subvariante impulsiona surto em Portugal

Uma subvariante da ômicron tem alimentado os casos de covid-19 em Portugal, que agora tem a segunda maior taxa de infecção do mundo, potencialmente ameaçando a recuperação do setor turístico. Portugal registrou uma média de 2.447 novos casos por milhão de pessoas nos últimos sete dias. Isso se compara aos 449 da vizinha Espanha e 70 do Reino Unido, de acordo com o rastreador Our World In Data. Portugal tem a quinta maior taxa de mortalidade por covid-19 do mundo e as hospitalizações estão aumentando, mas ambas ainda estão muito abaixo dos picos anteriores.

Painel Coronavírus

Vacinados

Primeira dose: 17,9 milhões no Brasil (8,39% da população em 1º/06)

Segunda dose: 163,9 milhões no Brasil (76,84% da população)

Doses de reforço: 99,27 milhões no Brasil (46,54% da população)


Casos
• 
31.137.479 – acumulado
• 30.905 – média móvel dos últimos 7 dias encerrados em 03/06 (alta de 36,28%)
• 30.063.682 – recuperados
• 406.826 – em acompanhamento (alta de 29,17% desde 03/06)
• 14.817 – casos acumulados por grupos de 100 mil

Mortes
• 666.971 – óbitos confirmados (acumulado)
• 93 – média móvel dos últimos 7 dias encerrados em 03/06 (queda de 12,18%)
2,1% – taxa de letalidade
• 317,4 – óbitos por grupos de 100 mil

– Dados atualizados em 03/06

Fontes: Ministério da Saúde, secretaria estaduais e municipais de saúde, Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), consórcio de veículos de imprensa, Organização Mundial de Saúde (OMS) e Universidade Johns Hopkins

Compartilhe

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Pergunte para a

Mônica.

©2017-2020 Money Report. Todos os direitos reservados. Money Report preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe.