PATROCINADORES

Nº 83: o dia mais letal; Covax com vetos; março poderá ser pior

Recordes e luto

O Brasil bateu um novo triste recorde. Uma semana após atingir 250 mil óbitos, nesta terça-feira (2), o país registrou em 24 horas 1.726 mortes. Três estados tiveram seu dia mais letal desde o início da pandemia, há um ano: São Paulo (468), Rio Grande do Sul (185) e Rondônia (46).

Aprovada a PEC das vacinas

Estados, municípios e o setor privado poderão comprar vacinas para o SUS

A Câmara dos Deputados aprovou o texto-base do projeto de lei 534/21 aprovado no Senado nesta terça-feira (2), que autoriza estados, municípios e o setor privado a comprar vacinas contra a covid-19 com registro ou autorização temporária de uso no Brasil. Isso descentraliza a função do governo federal, dará mais velocidade à imunização e ampliará a oferta de imunizantes. No caso do setor privado, as doses deverão ser integralmente doadas ao Sistema Único de Saúde (SUS). Foram 361 votos a favor e 92 contra.

Vem aí o março mais triste

Cemitério Parque da Saudade, em São Gabriel da Cachoeira, Amazonas

A pneumologista, professora e pesquisadora da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Margareth Dalcolmo, explicou à BBC Brasil que o momento é grave, talvez o pior já enfrentado pelo Brasil na pandemia. “Isso não nos surpreende, uma vez que as medidas de controle sanitário não foram só controversas, mas também ineficientes por um longo tempo. Nós sabemos que a única solução possível para controlar a situação é a vacinação, mas a campanha está apenas no início, numa velocidade aquém do desejável”. Ela explicou que além da responsabilidade das autoridades, é necessário aumentar a consciência cívica. Dalcomo criticou as festas e encontros realizados no final do ano e no carnaval. Entre os profissionais de saúde, desde janeiro já se falava que o resultado seria trágico. “Não tenho dúvida de que teremos o mês de março mais triste de nossas vidas.”

Brasil adere ao Covax, mas com vetos

O presidente Jair Bolsonaro sancionou, com vetos, a medida provisória que autoriza a adesão do Brasil ao Consórcio Covax, da Organização Mundial da Saúde (OMS), nesta terça-feira (2). De acordo com o texto, caberá ao Covax negociar com os fabricantes a compra das doses nos volumes especificados, com os devidos cronogramas de entrega e os preços. Os vetos do Executivo foram criticados por parlamentares. Um dos artigos vetados dava prazo de até cinco dias para a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberar a importação de vacinas aprovadas por autoridades sanitárias internacionais, como a dos Estados Unidos. Bolsonaro alegou que a medida é uma ofensa à separação dos poderes, risco à saúde da pública, impossibilidade de operacionalização no prazo exíguo e supressão da autonomia da Anvisa. Outra justificativa foi fiscal, pois a regra criava uma despesa obrigatória sem apresentação de estimativa de gasto, como estabelece a legislação. Também foi excluído o dispositivo que determinava que os estados poderiam imunizar sua população com os custos arcados pela União.

Colômbia recebe primeira leva

A Colômbia se tornou o primeiro país na América Latina a recebeu, na segunda-feira (1º), os imunizantes adquiridos via Consórcio Covax. São 117 mil doses da Pfizer/BioNTech na primeira fase da iniciativa. O país deve receber 20 milhões de doses este ano. Peru, El Salvador e Bolívia também fazem parte do acordo.

Merck, J&J e Casa Branca

O governo dos Estados Unidos deve anunciar uma parceria entre a farmacêutica Merck e a Johnson & Johnson para a produção de imunizantes, como parte de um acordo para acelerar a campanha americana, aponta o jornal The Washington Post nesta terça-feira (2). O periódico explicou que a Casa Branca participou das negociações.

Imunizar para rezar em Meca

A Arábia Saudita exigirá dos fieis muçulmanos que desejam fazer a peregrinação à Meca e Medina uma comprovação de imunização. As autoridades sauditas não deixaram claro como será feito este controle. O ministro da Saúde, Tawfiq al Rabia, explicou à imprensa local que os responsáveis pela organização e gestão das cidades sagradas receberão a vacina antes de julho, quando inicia o Hajj, o período de peregrinação.

O que mais MONEY REPORT publicou hoje

Painel Coronavírus

Dados atualizados em 02/03/21 – 20h30

Vacinados

  • 249,2 milhões no mundo * (3,32% da população)
  • 8,47 milhões no Brasil * (4,01% da população)
    * Considerando as duas doses, quando for o caso

Leitos de UTI

  • 80% de ocupação total em 16 estados brasileiros e no DF *
    * Não há uma contagem sistemática e centralizada dos leitos de UTI disponíveis nas redes pública e privada do país. O levantamento de MR é baseado nas informações veiculadas na imprensa

Casos confirmados
• 10.646.926 – acumulado
• 59.925 – casos novos
• 9.527.173 – casos recuperados
• 862.392 – em acompanhamento
• 5.066,0 – incidência por grupo de 100 mil habitantes

Óbitos confirmados
• 257.361 – óbitos acumulados
• 1.641 – óbitos novos
• 2,5% – Letalidade
• 122,0 – mortalidade por grupo de 100 mil habitantes

Fontes: Ministério da Saúde, consórcio de veículos de imprensa e Universidade Johns Hopkins (EUA) / Fiocruz

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 + um =

Pergunte para a

Mônica.