Document
PATROCINADORES

Nº 350: alemães falhando; passe paulistano; sistema imunológico envelhecido

Alemanha cogita vacinação obrigatória

Políticos alemães debatem a possibilidade de tornar a vacinação contra a covid-19 obrigatória, considerando o aumento de novos casos e baixa taxa de imunização no país. Uma líder dos Verdes da Alemanha, partido que deve fazer parte do novo governo do país, manifestou, nesta quarta-feira (24), apoio à medida. Vários membros do partido conservador da chanceler Angela Merkel (imagem) concordaram. O debate vem na esteira do fracasso de outros esforços para elevar a taxa de imunização para além de 68% da população. A Alemanha registrou na última terça-feira (23) um novo recorde de infecções em 66.884 e 335 mortes em 24 horas, conforme o Instituto Robert Koch. Ainda segundo informações, há uma incidência semanal de 404,5 diagnósticos positivos para cada 100 mil habitantes, o maior índice desde o início da pandemia.

O que MONEY REPORT publicou hoje:

Entre em SP apenas com seu passaporte

A secretaria Municipal da Saúde de São Paulo enviou um ofício ao Ministério da Saúde para pedir que a pasta torne obrigatória a exigência de um passaporte da vacina para todos os estrangeiros que ingressarem no país por aeroportos ou portos. O ofício foi expedido na terça-feira (22). A gestão municipal teme a entrada de não vacinados e o aumento das infecções durante as festas de final de ano e no começo de 2022. Além da previsão da realização do carnaval na cidade.


____________________________________________

Informe Publicitário


____________________________________

Desgaste do sistema imune

Um estudo publicado na revista científica Journal of Infectious Diseases por pesquisadores do IOC/Fiocruz e da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) apontou que casos graves de covid-19 estão relacionados a um processo de envelhecimento do sistema imunológico que ocorre durante a doença. Foram avaliadas amostras de sangue de 22 pacientes hospitalizados e depois, foram comparadas com as de pessoas saudáveis, o que permitiu detectar os sinais que as células de defesa ( linfócitos T) auxiliares passaram por um processo de hiperatividade, exaustão e envelhecimento no caso dos infectados. 

2,2 milhões de mortos

A Europa pode registrar 700 mil mortes adicionais nos próximos meses, chegando à marca de 2,2 milhões de vidas perdidas para a covid-19 em março do próximo ano, informou nesta terça-feira (23), a Organização Mundial da Saúde (OMS). De acordo com a previsão, os leitos hospitalares de 25 países deverão estar sob alta ou extrema pressão no dia 1º de março de 2022. O mesmo deve acontecer com as unidades de terapia intensiva em 49 dos 53 países que fazem parte da zona europeia da OMS (que inclui Rússia e outras ex-Repúblicas Soviéticas e Turquia).

Nova Zelândia restrita

Nesta quarta-feira (24), a Nova Zelândia informou que manterá as severas restrições para a entrada de viajantes estrangeiros por pelo menos outros cinco meses, apesar da gradual flexibilização de um dos fechamentos de fronteiras mais rígidos do mundo pela pandemia. O ministro responsável pelo combate à covid-19, Christ Hipkins, disse que os cidadãos do país que estão na Austrália poderão retornar em meados de janeiro e que um mês depois serão autorizados os neozelandeses em outros países.

Respiro ao ar livre

Zé gotinha Tik Toker

Painel Coronavírus

Vacinados *
• 913,86 milhões no mundo (11,6% da população com a primeira dose)
• 7,78 bilhões de doses distribuídas (98,85% da população — cumulativo, incluindo doses de reforço e estoques)
• 158,2 milhões no Brasil (74,16% da população)*
* dados globais aproximados

Segunda dose **
• 3,28 bilhões no mundo (41,62% da população)
• 130,437 milhões de brasileiros (61,15% da população)
** dado global aproximado

Casos confirmados no Brasil
• 22.043.112 – acumulado
• 12.930 – novos infectados
• 21.264.713 – recuperados 
• 165.060 – em acompanhamento 
• 10.489,4 – incidência por grupo de 100 mil habitantes

Mortes confirmadas no Brasil
• 613.339 – óbitos acumulados
• 273 – novas vítimas fatais
• 2,8% – letalidade
• 291,9 – mortalidade por grupo de 100 mil habitantes

Dados globais e nacionais atualizados em 24/11/2021, às 19h00

Fontes: Ministério da Saúde, secretaria estaduais e municipais de saúde, Consórcio Nacional de Imprensa, Organização Munidal de Saúde (OMS) e Universidade Johns Hopkins

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.