Document
PATROCINADORES

Nº 333: Itália previne internações; SP dispensa não vacinados; Janssen e Pfizer menos efetivas


Vacinação evita 91% das hospitalizações na Itália

A eficácia da vacinação contra a covid-19 “permanece alta” na prevenção das hospitalizações e mortes na Itália, informou o Instituto Superior de Saúde (ISS) no sábado (6). Conforme os dados, as vacinas anti-covid evitam 91% das internações, 95% das hospitalizações em terapia intensiva e 91% das mortes com a variante delta prevalente. “A eficácia na prevenção de qualquer diagnóstico sintomático ou assintomático de covid-19 em pessoas totalmente vacinadas diminuiu de 89%, durante a fase epidêmica com a variante alfa, para 75%, na fase com a variante delta”, diz o documento.

O que MONEY REPORT publicou hoje:

Veja Ricardo Nunes
Ricardo Nunes (MDB)

Prefeitura de SP demitirá não vacinados

Em uma consultoria pelo prefeito Ricardo Nunes (MDB), a Procuradoria-Geral do Município disse entender que a portaria do Ministério do Trabalho que proíbe a demissão e a não contratação de quem se recusa a tomar vacinas para a covid-19 não se aplica a São Paulo. A prefeitura, portanto, não seguirá a orientação de Jair Bolsonaro.

____________________________________________

Informe Publicitário

____________________________________________

Campanha para pesquisa do HC

O Hospital das Clínicas (HC) de São Paulo abriu uma campanha de financiamento de pesquisas sobre os diferentes efeitos da covid-19 no organismo humano. A instituição, ligada à Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), pretende desenvolver estudos sobre os efeitos da doença nos sistemas cardiovascular, neurológico e urinário. As pesquisas também tencionam avaliar os reflexos das infecções no sêmen e nos índices glicêmicos, entre outros impactos. Os estudos buscam padronizar diagnósticos e desenvolver tratamentos para os efeitos de longo prazo da covid-19.

Testes positivos em farmácia decaem

Em trajetória paralela à queda do número de mortes por covid, a porcentagem de resultados positivos da doença em testes rápidos de farmácia segue em declínio, segundo levantamento da Abrafarma, associação que reúne grandes redes de drogarias. Cerca de 10% dos exames realizados entre 18 e 24 de outubro detectaram o coronavírus, atingindo novo patamar mais baixo desde o início do serviço nas farmácias, em abril de 2020. Foram quase 12.800 diagnósticos no período, conforme a pesquisa. Os testes vendidos nas drogarias podem avaliar antígenos ou anticorpos.

Menos da metade de proteção

Estudo publicado na revista Science mostra que a efetividade das 3 vacinas aplicadas nos Estados Unidos reduziu dramaticamente depois de 6 meses de aplicação. Os imunizantes que tiveram pior desempenho foram os da Janssen e da Pfizer, também usados no Brasil. A proteção de 87% da vacina da Janssen caiu para 13% depois de 6 meses. A da Pfizer foi de 87% para 43% e a da Moderna, de 89% para 58%.

Homenagem em Bosque

Painel Coronavírus

Vacinados *
• 848 milhões no mundo (10,78% da população com a primeira dose)
• 7,25 bilhões de doses distribuídas (92,12% da população — cumulativo, incluindo doses de reforço)
• 157,55 milhões no Brasil (73,86% da população)
* dados globais aproximados

Segunda dose **
• 3,14 bilhões no mundo (39,9% da população)
• 123,92 milhões de brasileiros (58,1% da população)
** dado global aproximado

Casos confirmados no Brasil
• 21.874.324 – acumulado
• 11.866 – novos infectados
• 21.062.218 – recuperados 
• 202.718 – em acompanhamento 
• 10.409,1 – incidência por grupo de 100 mil habitantes

Mortes confirmadas no Brasil
• 609.388 – óbitos acumulados
• 328 – novas vítimas fatais
• 2,8% – letalidade
• 290 – mortalidade por grupo de 100 mil habitantes

Dados globais e nacionais atualizados em 07/11/2021, às 19h

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.