Document
PATROCINADORES

Nº 312: saliva e luz; pets não transmitem; idosos na rede pública; Rio liberou geral

Cinemas, shows e shoppings do Rio terão lotaçao máxima

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, anunciou que nesta segunda-feir (18) será publicado um novo decreto permitindo que teatros, cinemas, circos, museus, shoppings, casas de festas e espaços de eventos, parques de diversão, zoológico e afins possam receber público até a lotação máxima. A obrigatoriedade do uso de máscara em todos esses espaços será mantida.

Teste pela saliva usando luz

Pesquisadores da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) desenvolveram um teste de covid-19 pela saliva utilizando luz. Um sinal elétrico é aplicado na saliva do paciente. Caso haja vírus, esse sinal produz uma reação química na forma de uma luz vermelha. Se o aparelho utilizado não ascender, o diagnóstico é negativo. Seria possível obter o resultado do diagnóstico em até uma hora com precisão semelhante ao do teste laboratorial RT-PCR. Outra vantagem apontada pelos autores da pesquisa é a análise de 20 amostras ao mesmo tempo.

Assintomáticos, cães e gatos não transmitem covid

Apenas 11% dos cães e gatos que habitam casas de pessoas que tiveram covid-19 apresentam o vírus nas vias aéreas. Esses animais, entretanto, não desenvolvem a doença, indica uma pesquisa da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR). De acordo com o médico veterinário Marconi Rodrigues de Farias, um dos responsáveis pelo estudo, até o momento, foram avaliados 55 animais, sendo 45 cães e dez gatos. Os animais foram divididos em dois grupos: aqueles que tiveram contato com pessoas com diagnóstico de covid-19 e os que não tiveram. A pesquisa visa analisar se os animais que coabitam com pessoas com covid-19 têm sintomas respiratórios semelhantes aos dos tutores, se sentem dificuldade para respirar ou apresentam secreção nasal ou ocular. “Eles pegam o vírus, mas este não replica nos cães e gatos. Eles não conseguem transmitir”, explicou Farias. Segundo o pesquisador, a possibilidade de cães e gatos transmitirem a doença é muito pequena, mas há risco de surgir uma mutação contagiosa. O estudo conclui ainda que em torno de 90% dos animais, mesmo tendo contato com pessoas positivadas, não têm o vírus nas vias aéreas.

O que MONEY REPORT publicou hoje:

____________________________________________

Informe Publicitário

_____________________________________________

Idosos morrem mais na rede pública

Os sinais de declpinio da pandeia são evidentes, porém há incertezas que levam à morte que precisam ser resolvidas. Um levantamento do Ministerio da Saúde, junto à base de dados de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) mostra que pessoas acima dos 80 anos acometidas do novo coronavírus que foram internadas na rede pública da capital paulista têm mais chances de falecer, em comparação com os atendidos nos hospitais privados. O levatamento considera do início da pandemia até setembro. A cada 100 idosos em hospitasi públicos da capital, 58 morreram, na média de todos os meses, enquanto nas unidades privadas essa média cai para 46. As médias devem ser reduzidas a partir de outubro.

Marco da humanidade

Painel Coronavírus

Vacinados

• 3,85 bilhões no mundo (49,42% da população)
• 6,65 bilhões no mundo (85,36% da população — cumulativo)
• 151,56 milhões no Brasil (71,05% da população)

Segunda dose *

• 2,8 bilhões no mundo (36% da população)
• 106,24 milhões de brasileiros (49,8% da população)
* dados aproximados

Casos confirmados no Brasil
• 21.644.464 – acumulado
• 5.738 – novos infectados
• 20.794.497 – recuperados
• 246.685 – em acompanhamento
• 10.299,7 – incidência por grupo de 100 mil habitantes

Mortes confirmadas no Brasil
• 603.282 – óbitos acumulados
• 130 – novas vítimas fatais
• 2,8% – letalidade
• 287,1 – mortalidade por grupo de 100 mil habitantes

Dados vacinais atualizados em 17/10/2021, às 18h20

Fontes: Ministério da Saúde, consórcio de veículos de imprensa, Universidade Johns Hopkins (EUA) e Fiocruz

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.