Document
PATROCINADORES

Nº 300: falha nos passaportes; AstraZeneca e FDA; pandemias que virão

Saúde precisa resolver impasse com certificados

O governo federal admitiu haver problemas na emissão dos certificados de vacinação para quem foi atendido com diferentes imunizantes. O aplicativo Conecte SUS, do Ministério da Saúde, não emite o certificado em alguns momentos para estas pessoas. Com isso, é impossível frequentar alguns estabelecimentos nos municípios que exigem o documento digital. Para piorar, o certificado pode ser usado em viagens internacionais aos países onde é permitida a entrada de brasileiros. Com a falha no sistema, quem ganhou doses intercambiadas pode não conseguir sequer embarcar.

Droga preventiva da Astrazeneca

A farmacêutica anglo-sueca AstraZeneca informou nesta terça-feira (5) que solicitou o uso emergencial do AZD7442 ao Food and Drug Administration (FDA, a Anvisa dos Estados Unidos). O medicamento é descrito como uma “combinação de anticorpos” que reduziu em 77% o risco de casos graves de covid-19 em testes de fase 3. Nos estudos clínicos, mais de 75% dos participantes tinham comorbidades relacionadas à covid-19 ou apresentavam resposta imune menor às vacinas contra a doença. Segundo a AstraZeneca, a droga foi bem tolerada pelos voluntários do teste.

O que MONEY REPORT publicou hoje:

______________________________________________

Informe Publicitário

_________________________________________________

Força atrás de crimes contra a vida

O procurador-geral de Justiça de São Paulo, Mário Luiz Sarrubbo, disse que a força-tarefa criada pelo Ministério Público Estadual de São Paulo (MP-SP) investigará possíveis omissões de notificação de médicos da Prevent Senior. O MP dará especial atenção à apuração de crimes contra a vida. Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, Sarrubbo afirou que quatro dos nove promotores vieram de atuações em tribunais de júri. “A ideia é ter um olhar dos crimes contra a vida. Eles são experientes. Não realizamos juízo prévio. A ideia é que a covid envolve risco à vida, portanto, nada melhor do que um grupo de promotores com experiência de lidar com crimes contra a vida. Estamos investigando as mortes que aconteceram dentro de um sistema adotado por essa empresa”, disse.

O que negou o diretor da VTCLog à CPI

Na abertura da que deve ser sua última semana de oitivas, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia do Senado ouviu nesta terça-feira (5), Raimundo Nonato Brasil, sócio da empresa de logística VTCLog. A comissão investiga a atuação da empresa e sua relação com o líder do governo na Câmara, o deputado Ricardo Barros (PP-PR), e com o ex-diretor de Logística do Ministério da Saúde Roberto Ferreira Dias. Segundo relatório do Tribunal de Contas da União (TCU), a empresa é suspeita de superfaturar R$ 16 milhões em contratos na Saúde, entre 1997 e em 2003. A VTClog tem contrato com o Ministério da Saúde, desde 2018, para armazenamento e distribuição de medicamentos, insumos e vacinas.

Raimundo Nonato Brasil, da VTCLog, negou irregularidades

TCU: Nonato Brasil afirmou que a operadora nunca recebeu qualquer penalidade por parte da Corte de Contas;
R$ 80 milhões: sobre o aditivo no contrato da VTCLog com o Ministério da Saúde, sem licitação e suspenso pelo TCU, disse que o pedido foi feito pela própria pasta por causa da demanda. “Só para atender a Pfizer, tivemos que investir mais de 30 milhões e até agora não recebemos pelo serviço”, justificou;
Roberto Dias: perguntado sobre a relação com o ex-diretor de logística do Ministério da Saúde, explicou que ele “em nenhum momento, recebeu dinheiro da VTCLog para o pagamento de suas contas. Ele é cliente da VoeTur Turismo e realizou alguns depósitos para pagar alguns bilhetes de passagens aéreas. Outros, ele pagou em dinheiro ao nosso financeiro. Quando o boy foi para o banco, nosso financeiro pegou o dinheiro para que quitasse aquele boleto da VoeTur Turismo. Para entrar no nosso banco, tem que pagar para que eu possa dar baixa no boleto contabilmente”;
Motoboy no banco: o relator da CPI, Renan Calheiros, lembrou que as imagens de um circuito interno de um banco que mostram Ivanildo Gonçalves fazendo pagamentos quen coincidem em horário e agência com o pagamento de boletos em nome de Dias, Nonato negou se tratar de uma troca de favorecimentos;
Motoboy de novo no banco: Calheiros disse ter provas que Roberto Dias foi beneficiado pela VTCLog, pois em 24 de junho o ministério pagou R$ 62,4 milhões à empresa, mesmo dia que foram pagos boletos de R$ 13 mil ao ex-diretor;
Recebendo em vez de pagar: para justificar os pagamentos, Nonato Brasil argumentou que Dias era cliente da Voetur. “Se ele era cliente e comprou passagens, deveria ser o contrário: Roberto Dias deveria pagar e não receber”, rebateu Renan.

“Uma nova pandemia já é considerada inevitável

Mariângela Simão, diretora adjunta para acesso a medicamentos da Organização Mundial de Saúde 

Em entrevista à RFI, a diretora-geral adjunta da Organização Mundial de Saúde (OMS), Mariângela Simão (imagem), revelou que um tratado internacional sobre pandemias é discutido, já que um novo fenômeno pandêmico é considerado inevitável e apenas uma questão de tempo. O assunto será discutido na Assembleia Mundial de Saúde promovida pela OMS em novembro. A iniciativa pode criar “uma série de formalidades que os países e o setor privado deverão tomar no caso de uma nova emergência mundial”, afirmou.

Médicos criticam liberação de máscara

A decisão da Prefeitura do Rio de Janeiro desobrigando o uso de máscaras em ambientes abertos a partir de 15 de outubro é criticada por especialistas da saúde. A intenção foi apresentada na segunda-feira (4), pelo prefeito carioca Eduardo Paes (PSD), em mensagem em sua conta no Twitter. Na capital fluminense, segundo dados da própria prefeitura, na manhã desta terça-feira (5), 56,5% da população está com esquema vacinal completo. Para que a flexibilização aconteça, Paes indicou que a marca precisaria chegar a 65%, o que ele estima que aconteça em meados deste mês. É uma leviandade. A experiência prévia indica que só a partir de 70% de vacinados é que uma pandemia começa a esmorecer. No caso da covid, é possível que esse índice tenha que ser acima de 80%. “Esse é um vírus que surfa nas oportunidades. O que temos que fazer é não dar oportunidade”, diz Flávio Guimarães da Fonseca, presidente da Sociedade Brasileira de Virologia (SBV) e da Universidade Federal de Minais Gerais (UFMG).

+18 paulistas vacinados

Painel Coronavírus

Vacinados

• 3,81 bilhões no mundo (48,97% da população)
• 6,36 bilhões no mundo (84,53% da população — cumulativo)
• 147,99 milhões no Brasil (69,38% da população)

Segunda dose *

• 2,55 bilhões no mundo (34,2% da população)
• 94,73 milhões de brasileiros (44,41% da população)
* dados aproximados

Casos confirmados no Brasil
• 21.478.546 – acumulado
• 10.425 – novos infectados
• 20.462.345 – recuperados
• 418.049 – em acompanhamento
• 10.220,7 – incidência por grupo de 100 mil habitantes

Mortes confirmadas no Brasil
• 598.152 – óbitos acumulados
• 204 – novas vítimas fatais
• 2,8% – letalidade
• 284,6 – mortalidade por grupo de 100 mil habitantes

Dados vacinais atualizados em 05/10/2021, às 19h55

Fontes: Ministério da Saúde, consórcio de veículos de imprensa, Universidade John Hopkins (EUA) e Fiocruz

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.