Document
PATROCINADORES

Nº 299: passaporte negado para misturas; genes impactam covid; planos para carnaval

Combinação não garante certificado

Pessoas que receberam imunização heteróloga contra a covid-19, ou seja, doses de marcas diferentes, têm relatado dificuldade para emitir o certificado de vacinação no ConecteSUS, aplicativo do Ministério da Saúde usado para comprovar o esquema vacinal. Apesar de prever essa mistura de imunizantes em norma técnica, a pasta admite não fornecer o certificado para quem tomou doses de vacinas distintas. O governo não explica o motivo da decisão.

Além de liberar viagens ao exterior, comprovar a vacinação tem se tornado rotina nas cidades brasileiras, que adotam diferentes modelos de passaporte sanitário. Ao menos 249 municípios criaram regras nesse sentido, recorrendo também ao certificado do ConecteSUS. Quem recebeu uma dose de AstraZeneca e outra de Pfizer está com a imunização completa, em acordo com prática recomendada por especialistas e prevista pela norma técnica 6 do Ministério da Saúde. Portanto, cumpre todas as exigências para receber o passaporte.

DF registra alta de transmissão

O Distrito Federal voltou a registrar aumento na taxa de transmissão da covid-19. No domingo (3), a Secretaria de Saúde (SES-DF) informou que o índice ficou em 1,14, o maior desde 18 de março. Com essa marca, 100 pessoas transmitem o vírus para outras 114, um aumento em relação ao dia anterior, que estava em 1,12. Conforme a Organização Mundial da Saúde, taxas acima de 1 configuram uma situação de descontrole da pandemia e preocupam as autoridades locais. As faixas etárias de 30 a 39 anos e de 40 a 49 anos concentram o maior número de infecções.

Influência genética

Uma pesquisa realizada por universidades estaduais do Paraná aponta que a genética pode influenciar o nível de reação das pessoas à covid-19. O estudo envolveu a revisão de cerca de 90 trabalhos científicos, publicados até julho de 2021, relacionados às variantes do novo coronavírus em países como os Estados Unidos, Inglaterra, Irã, Itália e Suíça. Entre os resultados, foi possível classificar os grupos de risco de pessoas infectadas além da idade e das comorbidades associadas a outras doenças.

O que MONEY REPORT publicou hoje:

______________________________________________

Informe Publicitário

_________________________________________________

População revacinada em 2022

O governo pretende revacinar toda a população contra a covid-19 em 2022, mas ainda não se sabe de onde virá o dinheiro para comprar as doses. Em entrevista ao Valor, o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz, afirmou que o ministro Marcelo Queiroga deve apresentar nos próximos dias um planejamento vacinal e para o manejo sanitário da pandemia em 2022. A ideia é, além de adquirir uma dose por pessoa, assegurar a opção de compra em caso de necessidade de nova revacinação.

USP retoma aulas

A Universidade de São Paulo (USP) retomou, a partir desta segunda-feira (4), as aulas presenciais para professores e alunos imunizados contra a covid-19. Devido à pandemia, a instituição havia suspendido as atividades presenciais, restringindo a entrada nos campi e implementado um sistema de aulas online desde março de 2020. Segundo a portaria, publicada em agosto no Diário Oficial, são consideradas imunizadas as pessoas que receberam as duas doses da vacina há pelo menos 14 dias.

Otimista e de olho na folia

No que depender das autoridades municipais, a cidade de São Paulo terá carnaval em 2022. A avaliação é do secretário municipal de Saúde, Edson Aparecido, reforçando a declaração do prefeito Ricardo Nunes (MDB). A expectativa é de que 15 milhões de pessoas estejam nas ruas da capital paulista durante a folia.

“Chegaremos até a segunda quinzena de outubro com mais de 90% da população vacinada com duas doses — portanto, com a cobertura vacinal completa. Até o carnaval, quase que a totalidade da população da cidade terá a dose de reforço”, disse. Ainda assim, comenta o secretário, a Prefeitura está em alerta para o caso de uma nova variante mudar o cenário da pandemia na cidade.

O estado de São Paulo registrou, neste domingo (3), menos de 4,5 mil internados por covid-19. O número é o menor dos últimos 18 meses e quase cerca de sete vezes menor que o registrado no pico da segunda onda, que chegou a ultrapassar 31 mil pacientes com a doença.

Homenagem na Roosevelt

A Prefeitura de São Paulo começou a realizar neste sábado (2) uma série de ações em homenagem às cerca de 38 mil pessoas que perderam suas vidas para a covid-19 na capital paulista. Entre as iniciativas, está a instalação de um memorial temporário com 38 mil cataventos na Praça Franklin Roosevelt, região central da cidade. 

“As ações fazem parte do projeto Memorial da Despedida, que visa não apenas fazer um tributo às pessoas que partiram, mas também oferecer uma oportunidade às suas famílias e amigos para que se despeçam com um ritual apropriado”, informou a Prefeitura.

Reforço na Saúde de SP

Painel Coronavírus

Vacinados

• 3,78 bilhões no mundo (48,59% da população)
• 6,34 bilhões no mundo (84,53% da população — cumulativo)
• 147,67 milhões no Brasil (69,23% da população)

Segunda dose *

• 2,53 bilhões no mundo (33,9% da população)
• 93,95 milhões de brasileiros (44,04% da população)
* dados aproximados

Casos confirmados no Brasil
• 21.478.546 – acumulado
• 10.425 – novos infectados
• 20.462.345 – recuperados
• 418.049 – em acompanhamento
• 10.220,7 – incidência por grupo de 100 mil habitantes

Mortes confirmadas no Brasil
• 598.152 – óbitos acumulados
• 468 – novas vítimas fatais
• 2,8% – letalidade
• 284,6 – mortalidade por grupo de 100 mil habitantes

Dados vacinais atualizados em 04/10/2021, às 19h

Fontes: Ministério da Saúde, consórcio de veículos de imprensa, Universidade John Hopkins (EUA) e Fiocruz

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.