Document
PATROCINADORES

Nº 263: 2 bilhões imunizados; leite materno; sequelas tratadas no SUS

25% da humanidade fechou ciclo vacinal

Um em cada quatro seres humanos já recebeu a segunda ou a dose única da vacina contra a covid-19. Esta marca foi atingida em algum momento entre a última sexta-feira e este sábado (28), entrando nos dados das Nações Unidas a partir do meio da tarde deste domingo. De acordo com Universidade Johns Hipkins, que reúne os dados, cerca de 2,06 bilhões de pessoas completaram o ciclo vacinal – e estão seguras contra a doença. De acordo com o mesmo levantamento, 60% da população global já recebeu ao menos uma dose, perfazendo 5,21 bilhões de pessoas. Não quer dizer que a pandemia está para acabar. Governo do mundo todo preparam uma terceira dose para estancar as variantes mais perigosas, como a delta.

Vinte estados têm ocupação de leitos abaixo de 50%

O Ministério da Saúde informou que, pela primeira vez desde o início da pandemia, 20 estados brasileiros estão com suas taxas de ocupação em leitos para covid abaixo de 50%. O dado envolve tanto leitos clínicos como de unidades de terapia intensiva (UTI). O índice de ocupação, segundo o órgão, é considerado normal e é resultado do avanço da vacinação. “Na prática, isso significa que a rede hospitalar desses estados está menos sobrecarregada e registrando menos casos graves ou gravíssimos de covid-19, ou seja, situações que demandam internação e intervenção médico-hospitalar”, diz o ministério em nota. Os estados que estão com taxa de ocupação de leitos abaixo de 50%: Acre, Pará, Amazonas, Rondônia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins, Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia, Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo e Santa Catarina.

Anticorpos podem passar para bebês pelo leite materno

Conduzida pelo Hospital das Clínicas (HC) da Faculdade de Medicina da USP e realizado pelo Instituto da Criança e do Adolescente, uma pesquisa constatou que as mães vacinadas contra a covid-19 com a CoronaVac produzem anticorpos que podem ser transmitidos ao recém-nascido pelo leite materno. As lactantes são colaboradoras do HC. Também foi observado que a segunda dose forneceu um incremento no nível de anticorpos das gestantes e, em algumas das colaboradoras, os níveis altos de anticorpos contra a covid-19 mantiveram-se no leite materno mesmo depois de alguns meses. “Esse anticorpo [advindo do leite] é muito interessante, porque tem uma ação fundamentalmente local, quase nada dele é absorvido. Sua ação é em todo o trato gastrointestinal do bebê”, disse a professora Magda Carneiro, do Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina da USP e vice-presidente do conselho do Instituto da Criança. Estudos equivalentes foram feitos em outros países, como Israel, Estados Unidos e Espanha, mostrando que as vacinas Pfizer, Moderna e Oxford/Astrazeneca também induzem efeitos parecidos.

_______________________________________________

Informe Publicitário

_____________________________________________

Universidades públicas oferecem tratamento para sequelas

Hospitais universitários (HUs) oferecem tratamento pelos Sistema Único de Saúde (SUS) para quem sofre de problemas continuados decorrentes do novo coronavírus. Os principais sintomas são cansaço e dores, mas há registro de dormência nas pernas, mobilidade afetada, complicações renais, dificuldades respiratórias, ansiedade e depressão.
Confira:

  • Hospital Universitário de Brasília (HUB) – programa de oito semanas, com atividades presenciais duas vezes por semana para pacientes. A parte presencial é realizada no ginásio da Unidade Multiprofissional e conta com musculação e exercícios aeróbicos com suporte de oxigênio, caso seja necessário;
  • Hospital das Clínicas de Pernambuco – Em Recife (PE), uma equipe multiprofissional monta um plano terapêutico e de reabilitação. A equipe é formada por médicos, enfermeiros, assistentes sociais, terapeutas ocupacionais, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, nutricionistas e psicólogos;
  • Hospital Universitário Júlio Bandeira – Em Cazajeira (PB), uma equipe de fisioterapia é responsável por um programa de reabilitação pulmonar que envolve técnicas de expansão do pulmão e remoção de secreção;
  • Hospital Universitário de Rio Grande (RS) – 22 profissionais de infectologia, clínica médica, reabilitação física e respiratória, psicologia, pneumologia, cardiologia, neurologia, nefrologia, pediatria e nutrição criam programas para cada tipo de paciente;
  • Hospital-Escola de Pelotas (RS) – o paciente será tratado por um pneumologista e um fisiatra, além do atendimento multiprofissional de fisioterapia, terapia ocupacional, psicologia e educação física.

Pandemia não dá tregua na Inglaterra

As infecções por coronavírus na Inglaterra atingiram um nível preocupante, informou o Departamento Nacional de Estatísticas. O país soma 6,7 milhões de casos com 132 mil vítimas fatais. Mesmo com mais de 60% da população completamente vacinada, nas últimas duas semanas foram registrados mais de 450 mil casos novos, o que perfaz 6,8% das infecções desde março de 2020. As causas estariam no desrespeito às medidas sanitárias, reabertura descuidada das atividades e avanço de novas cepas. As autoridade de saúde estudam aprovar antes da chegada do próximo inverno doses de reforço para vulneráveis e para jovens entre 12 e 15 anos.

Valeu, Andréa!

Painel Coronavírus

Vacinados (cumulativos)
• 5,21 bilhões no mundo (69,39% da população)
• 129,22 milhões no Brasil (60,66% da população)

Segunda dose *
• 2,06 bilhões no mundo (26,6% da população)
• 59,84 milhões de brasileiros (28,09% da população)
*dados aproximados

Casos confirmados no Brasil
• 20.741.815 – acumulado
• 13.210 – novos infectados
• 19.663.748 – recuperados
• 498.759 – em acompanhamento
• 9870,1 – incidência por grupo de 100 mil habitantes

Mortes confirmadas no Brasil
• 579.308 – óbitos acumulados
• 298 – novas vítimas fatais
• 2,8% – letalidade
• 275,7 – mortalidade por grupo de 100 mil habitantes

Dados atualizados em 29/08/21 – 18h

Fontes: Ministério da Saúde, consórcio de veículos de imprensa, Universidade Johns Hopkins (EUA) e Fiocruz

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.