Document
PATROCINADORES

Nº 257: remédio indicado para gado; discussão das máscaras; veneno de cobra contra covid

“Você não é uma vaca”

As autoridades de saúde do Mississippi, nos Estados Unidos, estão alertando os residentes a não tomarem um medicamento antiparasitário — geralmente, uma formulação comprada em centros de abastecimento de gado — para tratar ou prevenir a covid-19. O Departamento de Saúde do Estado do Mississippi emitiu um alerta na sexta-feira (20) que o Centro de Controle de Parasitas do Mississippi recebeu um número crescente de ligações de pessoas que tomaram a droga conhecida como ivermectina — e que pelo menos 70% estavam relacionadas à “ingestão de ivermectina adquirida em centros de abastecimento de gado”. Embora haja usos humanos para a droga, a Administração de Alimentos e Drogas dos Estados Unidos (FDA, na sigla em inglês) não aprovou a ivermectina para tratar ou prevenir o coronavírus em humanos – a droga não é antiviral.

O que MONEY REPORT publicou hoje:

Já planejam o fim das máscara, mas a Saúde ainda indica

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira (23) que definirá uma data em conjunto com o Ministério da Saúde para sugerir a desobrigação do uso de máscaras. A declaração ocorreu em entrevista à Rádio Nova Regional, do Vale do Ribeira (SP). Contudo, a indicação da Saúde é de que mesmo aqueles que já contraíram a doença se vacinem, por conta do risco de reinfecção e de novas cepas.

Jararacuçu e seu veneno antiviral

Veneno de cobra brasileira Jararacuçu é capaz de inibir o coronavírus, segundo pesquisadores do Instituto de Química (IQ) da Unesp. Eles identificaram na substância um peptídeo — um pedaço de proteína — capaz de conter a reprodução viral em 75% em células de macaco. A descoberta aconteceu após testes em laboratório. Os resultados foram publicados na revista científica internacional Molecules. 

_________________________________________________________________________________________

Informe Publicitário

__________________________________________________________________________________________

Ele é investigado no caso Covaxin

Barros vai ao STF contra quebra de sigilo de suas empresas na CPI

O deputado e líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR) (imagem), foi ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra a quebra de sigilos de suas empresas no âmbito da CPI da Pandemia, nesta segunda-feira (23). Segundo a defesa, o pedido é motivado por recorrentes vazamentos de documentos sigilosos da comissão e, por isso, deveriam ser invalidados.

“zero covid” neozelandesa ficou no passado

A Nova Zelândia reconheceu no domingo (22) que sua estratégia de “zero covid” pode não ser mais viável. Com apenas 20% da população totalmente vacinada, o governo entende que o avanço da delta coloca seu “sistema de saúde em apuros”. A declaração foi feita pelo ministro encarregado da resposta à covid-19, Chris Hipkins. Ele afirmou que, como a variante é mais transmissível, a busca pela eliminação total do vírus é mais difícil.

Sem novos casos na China

A China não relatou, nesta segunda-feira (23), nenhum novo caso de covid-19 transmitido localmente pela primeira vez desde julho. É sinal de que o surto atual pode estar arrefecendo em meio à tolerância zero de Pequim e às rigorosas medidas antivírus adotadas em todo o país. Mais de 1.200 infecções foram confirmadas, em um surto que autoridades disseram ter sido impulsionado principalmente pela variante Delta, altamente transmissível e procedente do exterior, que provocou um foco no fim de julho em Nanjing, no leste do país.

Brasileiros adultos imunizados antes dos americanos

A escalada da vacinação contra covid-19 no Brasil deve fazer com que o país imunize 100% de sua população adulta antes mesmo dos Estados Unidos. A previsão foi feita em levantamento do jornal Correio Braziliense, com informações do site Our World in Data. Segundo os dados, a intensificação das campanhas de vacinação pelos estados brasileiros fez com que uma média de mais de um milhão de pessoas por dia recebessem os imunizantes nos últimos dois meses.

Italianos obrigados a vacinar

Com o ritmo de vacinação caindo semana a semana, a Itália já começa a discutir a hipótese de instituir a obrigatoriedade da vacinação para evitar que o coronavírus se aproveite da parcela desprotegida para continuar se disseminando. A discussão é nova e promete enfrentar resistência, mas alguns políticos e até representantes do governo já defendem a ideia abertamente.

“Essa é a última chamada para a vacinação. Se não superarmos a barreira de 80% da população com a imunização iniciada até 15 de setembro, avaliaremos a possibilidade de uma forma de obrigatoriedade”, disse ao jornal La Stampa o subsecretário do Ministério da Saúde, Pierpaolo Sileri.

Vacinar adolescentes para mantê-los na aula

Pesquisadores da Fiocruz argumentam que a vacinação de jovens entre 12 e 18 anos ajudará em uma retomada de atividades sociais deste grupo, incluindo a prática de esportes, e terá potencial de evitar a interrupção de aulas.

Cidades não registram óbitos

O estado de São Paulo identificou 402 municípios sem novas mortes por covid-19 na última semana, indicando que mais de 62% das cidades paulistas não tiveram vítimas da doença desde 15 de agosto. Além disso, 60 municípios não registraram novos casos confirmados no mesmo período. A constatação foi feita a partir de análise dos dados deste domingo (22) em comparação com o anterior (15), disponibilizados para consulta pública no boletim oficial do Governo do estado. As informações foram registradas pelas 645 cidades paulistas no Sivep, sistema oficial do Ministério da Saúde para notificação dos casos graves e mortes, e no E-SUS, onde são notificados os casos leves.

Adolescentes com deficiência

Painel Coronavírus

Vacinados (cumulativos)
• 4,93 bilhões no mundo (65,72% da população)
• 122,09 milhões no Brasil (57,31% da população)

Segunda dose *
• 1,9 bilhão no mundo (24,4% da população)
• 54,52 milhões de brasileiros (24,99% da população)
*dados aproximados

Casos confirmados no Brasil
• 20.583.994 – acumulado
• 13.103 – novos infectados
• 19.479.947– recuperados
• 529.199 – em acompanhamento
• 9.795 – incidência por grupo de 100 mil habitantes

Mortes confirmadas no Brasil
• 574.848– óbitos acumulados
• 321 – novas vítimas fatais
• 2,8% – letalidade
• 273,5 – mortalidade por grupo de 100 mil habitantes

Dados atualizados em 23/08/21 – 19h

Fontes: Ministério da Saúde, consórcio de veículos de imprensa, Universidade Johns Hopkins (EUA) e Fiocruz

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.