Document
PATROCINADORES

Nº 244: remédio contra covid; documentos photoshopados; CPI da Hélcio com H

Contra artrite e, talvez, contra covid

O baricitinibe, medicamento usado para o tratamento de artrite reumatoide, demonstrou eficácia nos testes em pacientes graves de covid, reduzindo em 38% a mortalidade entre os infectados, aponta um estudo preliminar. O resultado foi anunciado por médicos que conduziram a pesquisa em 12 diferentes centros clínicos brasileiros sob patrocínio da multinacional Eli Lilly, fabricante do medicamento, cujo nome comercial é Olumiant. O baricitinibe está em uso experimental nos Estados Unidos.

O que MONEY REPORT publicou hoje

Delta prova que a imunidade de rebanho é mito

“Não temos nada que pare [completamente] essa transmissão”

De acordo com o chefe do Oxford Vaccine Group da Universidade de Oxford, não é possível alcançar a imunidade coletiva com a cepa delta em circulação. O professor Sir Andrew Pollard explicou que as vacinas não impedem as contaminações, isso significa que atingir a imunidade da população é um mito. “A variante delta infectará os vacinados. E qualquer um ainda não vacinado em algum momento vai encontrar o vírus. Não temos nada que pare [completamente] essa transmissão.” concluiu o Pollard nesta terça-feira (10).

Itália e Reino Unido têm alta nas mortes

A Itália divulgou nesta terça-feira (10) mais 5.636 casos e 31 mortes por covid-19, elevando as contaminações totais e óbitos para 4.406.241 e 128.273, respectivamente, aponta o Ministério da Saúde do país. A quantidade de vítimas hoje é a maior para um único dia desde 5 de julho, quando também foram contabilizadas 31 mortes. O Reino Unido relatou 146 novas mortes em 28 dias, o maior acumulado diário desde 12 de março.

Coronel Hélcio: jantar não é almoço

O que Helcio com H disse à CPI

Na sessão desta terça-feira (10), a comissão ouviu o tenente-coronel da reserva do Exército e presidente do Instituto Força Brasil, Hélcio Bruno de Almeida. Vale destacar que ele estava munido com um habeas corpus (HC) preventivo concedido pelo Supremo Tribunal Federal (STF), para evitar se autoincriminar diante dos senadores. O Força Brasil é uma organização ligada ao bolsonarismo que utiliza as redes sociais para espalhar fake news sobre a pandemia, uso de máscara e vacinas. O que destoou nessa trajetória de apoio político foi interesse do depoente pelos imunizantes da AstraZeneca por meio da Davatti Air Supply. Helcio Bruno admitiu que esteve com o PM vendedor de vacinas, Luiz Paulo Dominguetti, no encontro com Roberto Ferreira Dias, do Ministério da Saúde, no tal chope da propina em Brasília.

Melhores momentos

  • Relator Renan Calheiros (MDB-AL): “Algum agente do ministério solicitou vantagem no processo de negociação de vacinas?”. Hélcio: “Me reservo ao direito de permanecer em silêncio”;
  • Relator: “Conhece alguém da presidência da República?”. Hélcio: “Algumas perguntas mais pertinentes” – neste caso, uma foto de 2019 foi exibida durante a sessão mostrando uma relação de amizade de Hélcio com Bolsonaro;
  • Refeição: o relator o questionou sobre o jantar com Dominguetti para conversar sobre negócios. Hélcio disse que não. Uma foto foi exibida. “Isso é um almoço”, justificou o coronel;
  • Fora do ar: o site do Força Brasil foi exibido na sessão com publicações que pediam o fechamento da Corte e instigavam a participação em atos antidemocráticos. O portal saiu do ar durante o depoimento de Hélcio (imagem abaixo);
  • Oportunismo: a senadora Simone Tebet (MDB-MS) destacou que um negacionista que buscava por vacinas era um oportunista da tragédia;
  • Trânsito: o vice-presidente da Mesa, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), afirmou que como o coronel transitava bem junto ao poder Executivo, já que seu nome constava nas agendas do vice-presidente, Hamilton Mourão, do ex-chefe da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos, do ex-secretário Executivo da Saúde, Elcio Franco, e do ex-ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles;
  • Supremo: após ser questionado sobre o posicionamento antidemocrático da sua organização e por já ter pedido a destituição da ministra Cármen Lucia, ele afirmou: “Sou a favor do STF”.
Site: Instituto Força Brasil saiu do ar nesta terça-feira (10)

Photoshop da Precisa entregue à Saúde

Um laudo pericial da Polícia Legislativa entregue à CPI da Pandemia apontou que documentos apresentados pela Precisa Medicamentos ao Ministério da Saúde “foram produzidos mediante montagens que abarcam os elementos de reconhecimento desses documentos, incluindo assinaturas, rubricas e marcas de carimbo”. Nas traduções do inglês para o português há a inclusão de termos ausentes no original e sobreposições para reaproveitar a assinatura de um documento antigo. 

____________________________________________________________________________________________

Informe Publicitário

_____________________________________________________________________________________________________________________

Crédito extraordinário à Saúde

O governo federal publicou uma medida provisória (MP) abrindo crédito extraordinário no valor de R$ 9,1 bilhões para o Ministério da Saúde. A MP 1.062/21, publicada no Diário Oficial da União nesta terça-feira (10).

Faltam doses e bom senso no Rio

A Secretaria Municipal de Saúde do Rio confirmou nesta terça-feira (10) que acatará a sugestão de um novo plano de reabertura da cidade proposto pelo Comitê Especial de Enfrentamento à Covid-19. A proposta estabelece o fim da obrigatoriedade do uso de máscaras em lugares abertos antes do que se esperava. Enquanto isso, o titular da secretaria, Daniel Soranz, afirmou que a capital pode suspender a aplicação da primeira dose a partir de quarta-feira (11) por escassez.

85% dos paulistas

Painel Coronavírus

Vacinados

• 4,48 bilhões no mundo (59,73% da população)
• 108,52 milhões no Brasil (50,92% da população)
* primeira dose

Segunda dose *
• 1,17 bilhão mundo (15,7% da população)
• 46,42 milhões de brasileiros (21,7% da população)
* incluindo dose única

Casos confirmados no Brasil

• 20.212.642 – acumulado
• 19.022.724 – recuperados
• 625.145 – em acompanhamento
• 34.885 – novos infectados
• 9.618 – incidência por grupo de 100 mil habitantes

Mortes confirmadas no Brasil

• 564.773 – óbitos acumulados
• 1.211 – novas vítimas fatais
• 2,8% – letalidade
• 269 – mortalidade por grupo de 100 mil habitantes

Dados de 10/08/21 – 19h30 

Fontes: Ministério da Saúde, Conselho Nacional de Secretários de Saúde e Universidade Johns Hopkins (EUA)

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.