Document
PATROCINADORES

Nº 239: OMS pede paciência; adolescentes na espera em SP; CPI do Cascavel

Calma com a terceira

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom, pediu que, por enquanto, os países desenvolvidos adiem seus planos de aplicação das doses de reforço contra a covid-19. “A OMS está pedindo uma moratória no reforço até pelo menos o final de setembro, para permitir que ao menos 10% da população de cada país seja vacinada”, afirmou Adhanom. Alemanha, Israel, França, Uruguai, Emirados Árabes Unidos, Bahrain, República Dominicana e Rússia vão dotar ou já adotam essa políticia. Outros países deliberam sobre essa necessidade, diante da disseminação da variante delta.

O que MONEY REPORT publicou

Lote incompleto atrasa atendimento de adolescentes em SP

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou que vai entrar na Justiça contra o Ministério da Saúde por causa da redução na entrega dos lotes da Pfizer. Na última remessa chegou pela metade. Para Doria, o estado sofre boicote. São Paulo recebeu 228 mil doses, quando esperava 456 mil, o que deve atrasar a vacinação de adolescentes com comorbidades, gestantes e puérperas, previsto para iniciar em 18 de agosto. Em reposta, o secretário-executivo do ministério, Rodrigo Moreira da Cruz, afirmou que há um percentual fixo de doses para cada estado e a decisão de distribuição não é feita de maneira unilateral pela Saúde.

Nordeste manda Sputnik para o espaço

O Consórcio Nordeste anunciou nesta quinta-feira (5) que suspendeu a compra de 37 milhões de doses da vacina Sputnik V. O contrato só será retomado caso haja autorização para o uso do imunizante pelas autoridades sanitárias brasileiras. Segundo o presidente do consórcio, governador piauiense, Wellington Dias (PT), a decisão foi tomada por conta dos condicionantes impostos pela Anvisa e pela não inclusão do imunizante no Programa Nacional de Imunizações (PNI).

O que Cascavel disse à CPI

Cascavel: “Picaretas das vacinas”

Na sessão desta quinta-feira (5), a comissão ouviu ex-assessor do Ministério da Saúde, Airton Antonio Soligo, conhecido como Airton Cascavel. Conhecido como uma espécie de ministro político enquanto autuou na Saúde, ele disse que “picaretas” tentaram negociar vacinas, mas que nunca recebeu nenhum deles em seu gabinete, se referindo aos casos da Davatti e AstraZeneca e da Precisa e Covaxin. A senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) lembrou a Cascavel que estes mesmos “picaretas” tiveram toda a atenção do ministério e assinaram contratos durante sua gestão: “Tivemos a Covaxin, foram empenhados R$ 1,6 bilhão para uma vacina que não tinha autorização da Anvisa e nem da agência indiana”. A senadora o questionou sobre o motivo dele não ter comunicado ninguém sobre as propostas estranhas que apareciam: “Então houve prevaricação do senhor”. O senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) observou que, dada a informalidade com que atuou inicialmente, a participação de Cascavel no ministério foi irregular e poderia ser considerada crime de usurpação da função pública. Cascavel admitiu não ter especialização na área da saúde e que era focado na articulação política. Vieira questionou: “Que articulação era essa?” O ex-assessor disse que foi deputado por Roraima e vice-prefeito de Boa Vista, por isso teria trânsito político.

___________________________________________________________________________________

Informe Publicitário

__________________________________________________________________________

EUA com alta nas contaminações

Após 6 meses oscilando entre quedas e estabilizações, os Estados Unidos atingiram uma nova alta nas contaminações, com mais de 100 mil casos relatados na quarta-feira (4). O pico é atribuído à cepa delta. O país relatou 94.819 casos na média de 7 dias, um aumento de 5 vezes em menos de um mês (a média de 7 dias é mais precisa, já que alguns estados só reportam infecções uma vez por semana ou só em dias úteis). Os sete estados com as taxas de vacinação mais baixas (Flórida, Texas, Missouri, Arkansas, Louisiana, Alabama e Mississippi) respondem por cerca de metade das contaminações e hospitalizações no período, afirmou o coordenador da Casa Branca contra a covid-19, Jeff Zients. Nas próximas semanas, os casos podem chegar a 200 mil por dia, estimou o especialista em doenças infecciosas e conselheiro da presidência americana, Anthony Fauci.

Terceira dose francesa

O presidente da França, Emmanuel Macron, anunciou nesta quinta-feira (5) que o governo se prepara para iniciar a distribuição da terceira dose de vacina a partir de setembro. O objetivo é proteger a população “mais idosa e mais frágil” com o reforço.

Exemplo de site malicioso

5 mil sites falsos sobre a pandemia

Pesquisadores da Kaspersky, empresa especializada em cibersegurança e privacidade digital, identificaram um esquema de mais de 5 mil sites maliciosos utilizados na pandemia. “Na maioria das fraudes que usam a pandemia, os cibercriminosos visam obter dados pessoais dos internautas, por isso o uso do phishing (mensagens maliciosas). As vítimas são enviadas para uma página falsa após clicar em um link de uma mensagem ou em um anúncio. Nesses sites, são solicitados os dados pessoais ou dados bancários. Após isso, os criminosos roubam o dinheiro das vítimas”, explicou o chefe de pesquisa de métodos de filtragem de conteúdo da Kaspersky, Alexey Marchenko.

Não seja uma vítima
  • Não acredite em ofertas e promoções exageradamente generosas;
  • Não siga links recebidos em e-mails, mensagens instantâneas ou comunicações em redes sociais;
  • Sempre verifique a autenticidade dos sites que você acessa;
  • Use uma solução de segurança confiável que bloqueará programas maliciosos e sites falsos.

Painel Coronavírus

Vacinados

• 4,32 bilhões no mundo (57,6% da população)
• 100 milhões no Brasil (46,95% da população)
* primeira dose

Segunda dose *
• 1,09 bilhão mundo (14,6% da população)
• 41,42 milhões de brasileiros (19,35% da população)
* incluindo dose única

Casos confirmados no Brasil

• 20.066.587 – acumulado
• 18.840.232 – recuperados
• 665.649 – em acompanhamento
• 40.054 – novos infectados
• 9548,8 – incidência por grupo de 100 mil habitantes

Mortes confirmadas no Brasil

• 560.706 – óbitos acumulados
• 1.099 – novas vítimas fatais
• 2,8% – letalidade
• 266,8 – mortalidade por grupo de 100 mil habitantes

Dados atualizados em 05/08/21 – 20h

Fontes: Ministério da Saúde, Conselho Nacional de Secretários de Saúde e Universidade Johns Hopkins (EUA)

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.