Document
PATROCINADORES

Nº 207: lambda chama atenção; mudanças nos EUA; reservatório bocal de covid-19

Cepa latina

A lambda (C.37), uma nova variante identificada no Peru, despertou a atenção da Organização Mundial da Saúde (OMS). De acordo com a entidade, já se espalhou por 27 países. Porém, o que se destaca é a sua possível capacidade de alta contaminação. O médico microbiologista peruano, Pablo Tsukaya, da Universidade Cayetano Heredia, explicou que em 2020 a C.37 estava em uma a cada 200 amostras no Peru. Em março, era responsável por 50% em Lima e agora é cerca de 80% das amostras. Os cientistas, permanecem incertos se a cepa é mais transmissível ou mais mortal.

O que MONEY REPORT publicou hoje

Variantes de interesse da OMS

  • Alpha (B.1.1.7): Reino Unido
  • Beta (B.1.351): África do Sul
  • Gamma (P.1): Brasil
  • Delta (B.1.617.2): Índia

Biden: da posse ao objetivo

Presidente dos EUA, Joe Biden

Neste domingo (4), os americanos comemoram o Dia da Independência, mas também crava a meta do presidente Joe Biden em imunizar ao menos 70% da população com uma dose contra a covid-19. Os EUA se consolidaram como o país mais atingido pela pandemia ao longo de 2020 e 2021, acumulando 33,7 milhões de casos e 605 mil óbitos. A tragédia deu lugar a uma corrida pela imunização desde a posse do democrata em 20 de janeiro.

Contaminações

  • 20 de janeiro: 185.488 casos novos
  • 4 de julho: 4.690 casos novos (não consolidado)
  • Queda de 97,4%

Óbitos

  • 20 de janeiro: 4.380 novas mortes
  • 4 de julho: 86 novas mortes (não consolidado)
  • Queda de 98% (arredondado)

Imunizações

  • Quase lá: Durante sua campanha, o democrata prometeu imunizar 70% da população com ao menos uma dose até o Dia da Independência (4 de julho), porém 67% da população recebeu ao menos uma dose aponta o Centro de Controle de Doenças (CDC, na sigla em inglês);
  • 47,8% estão totalmente imunizados, aponta a universidade Johns Hopkins;

Vírus na saliva

Matuck: “Isso explica por que é tão infeccioso”

Um estudo da Universidade de São Paulo (USP) publicado no periódico científico Journal of Pathology em abril deste ano mostra que o coronavírus se replica na saliva e que as mucosas da boca agem como reservatórios do vírus. Foram analisadas 24 autópsias de pacientes mortos pela doença, com idade média de 53 anos. “É o primeiro relato de vírus respiratório capaz de infectar e se replicar nas glândulas salivares. Acreditava-se que apenas vírus causadores de doenças com prevalência muito alta, como o da herpes, usavam as glândulas salivares como reservatório”, explicou o autor do estudo, Bruno Fernandes Matuck, doutorando na Faculdade de Odontologia da USP.

______________________________________________________________________________________________________________________________

Informe publicitário

______________________________________________________________________________________________________________________________

Ingleses: máscaras até quando?

O uso obrigatório de máscaras na Inglaterra e as restrições de circulação podem ser suspensas ainda neste mês, afirmou o secretário de Habitação, Robert Jenrick, neste domingo (4). A previsão para a possível flexibilização é 19 de julho, mas ainda depende do aval do primeiro-ministro Boris Johnson. “Teremos de garantir que cada adulto receba duas doses. Essa é a chave para manter o vírus sob controle”, destacou.

A conta paulistana da pandemia

A Secretaria de Saúde em 2020 empenhou R$ 11 bilhões com a pandemia

A pandemia e suas necessidades causaram impacto nas contas da Prefeitura de São Paulo em R$ 6 bilhões, aponta uma reportagem do jornal O Estado de S.Paulo deste domingo (4). Esse montante é a soma dos gastos da saúde e programas sociais até maio de 2021, 25% superior ao total estimado para novos investimentos deste ano. Isso pressiona o orçamento, consome parte do superávit acumulado em outros exercícios. Com 77 metas para cumprir até 2024, a atual gestão, sob o comando de Ricardo Nunes (MDB), tem remanejado verbas para o custeio de novos leitos hospitalares, entrega de cestas básicas e a compra de tablets para alunos da rede municipal.

Leitos privados

Uma pesquisa do Sindicato dos Hospitais do Estado de São Paulo (SindHosp) aponta queda de internados com covid-19 na rede privada entre 28 de junho a 2 de julho. Apenas 34% registraram aumento. O percentual ocupação de UTIs acima de 80% caiu, no mesmo período, de 83% para 62%. Nos leitos clínicos, a queda foi de 81% para 31%. O estudo não traz os números absolutos. O levantamento foi realizado por amostragem e ouviu 86 hospitais privados (29 da capital e 57 do interior). A pesquisa anterior foi de 14 a 18 de junho.

Painel Coronavírus

Vacinados (cumulativos)
• 3,13 bilhões no mundo (42,53% da população)
• 102,78 milhões no Brasil (48,25% da população)

Segunda dose *
• 802,5 milhões no mundo (10,7% da população)
• 27,26 milhões de brasileiros (12,8% da população)
* dados aproximados

Casos confirmados no Brasil
• 18.769.808 – acumulado
• 27.783 – novos infectados
• 17.082.876 – recuperados
• 1.162.515 – em acompanhamento
• 8.931,7 – incidência por grupo de 100 mil habitantes

Mortes confirmadas no Brasil
• 524.417 – óbitos acumulados
• 830 – novas vítimas fatais
• 2,8% – letalidade
• 249,5 – mortalidade por grupo de 100 mil habitantes

Dados atualizados em 04/07/21 – 18h

Fontes: Ministério da Saúde, consórcio de veículos de imprensa, Universidade Johns Hopkins (EUA) e Fiocruz

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.