Document
PATROCINADORES

Nº 189: testes falhos no festival hindu; palanque na CPI; Biden compra mais vacinas

Festival de testes questionáveis na Índia

O governo indiano iniciou uma ampla investigação após concluir que os testes de covid-19 feitos nos peregrinos do grande festival Hindu Kumbh Mela eram falsos. O evento ocorreu em abril e pode ser sido responsável pela explosão de contaminações em diferentes partes da Índia, aponta uma reportagem do The York Times desta quarta-feira (16). O médico responsável, Arjun Singh Sengar, explicou que foram realizados milhares de testes, porém tudo aponta para lapsos e resultados falhos. Especialistas indianos afirmam o festival não deveria ter acontecido e que o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, sabia desta preocupação, mas nada fez.

Compreenda o desastre religioso

  • Com mais de 30 milhões de participantes, o Kumbh Mela ocorre a cada 12 anos e é um dos maiores eventos religiosos do mundo
  • No dia mais importante, milhares de participantes se banham na confluência das águas dos rios Ganges e Yamuna (imagem em destaque);
  • A grande onda de contaminações aconteceu em abril, durante o festival;
  • A Índia soma 29,6 milhões de casos e 380 mil mortos;
  • Até 29 março, a média móvel de 7 dias de casos e óbitos era de 58.437 e 278, respectivamente;
  • Em 29 abril, a média móvel de 7 dias de casos e óbitos havia crescido para 357.040 e 3.059, respectivamente;
  • O recorde de casos ocorre em 8 de maio, com 403.405 registros;
  • O recorde de óbitos veio em 18 de maio, com 4.529 vidas perdidas.

O que MONEY REPORT publicou hoje

Mergulhando na terceira onda

A taxa de transmissão (Rt) do coronavírus no Brasil avançou na semana epidemiológica até terça-feira (15) e está em 1,07, apontam os dados compilados pelo Imperial College, de Londres. Isso significa que a cada 100 pessoas infectadas outras 107 são contaminadas. Na semana passada, o Rt brasileiro estava em 0,99. A taxa precisa estar abaixo de 1 para que a pandemia comece a se tornar controlável.

O que Witzel disse à CPI antes de se calar e sair

Witzel: “Tudo isso começou porque eu mandei investigar sem parcialidade o Caso Marielle”

O ex-governador destituído do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, fez uma breve, dispersiva e panfletária participação na CPI da Pandemia nesta quarta-feira (16). Ele aproveitou a audiência televisiva e a atenção da imprensa para criar um palco político em vez de responder diretamente sobre as eventuais ingerências do governo federal no combate à pandemia no estado do Rio. Witzel citou o Caso Marielle Franco – vereadora assassinada em 2018 – e alegou ter sido vítima de perseguição política do presidente Jair Bolsonaro. Houve troca de provocações entre ele e o senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ). Entre suas poucas menções a crise sanitária, destacou: “Os governadores, prefeitos de grandes capitais e prefeitos de pequenas cidades ficaram totalmente desamparados do apoio do governo federal. Isso é uma realidade inequívoca que está documentada em várias cartas que nós encaminhamos ao presidente da República”. Quando pressionado pelo senador Eduardo Girão (Podemos-CE) (imagem abaixo) sobre o superfaturamento na compra de respiradores durante sua gestão, recorreu ao habeas corpus que lhe garantia não ser obrigado a responder o que julgasse inapropriado e abandonou o salão.

Pergunta do senador Eduardo Girão (Podemos-CE) sobre faturamento não foi respondida

EUA vão às compras

Os Estados Unidos vão comprar mais 200 milhões de doses da vacina da Moderna, revelou a empresa nesta quarta-feira (16). O acordo permite que a administração do presidente Joe Biden receba diferentes versões do mesmo imunizante, a fim de combater variantes mais perigosas. A mudança eleva o pedido total da Moderna nos Estados Unidos para 500 milhões de doses.

Liberada para voluntários

Os testes serão realizados pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto

O Instituto Butantan abriu nesta quarta-feira (16) o pré-cadastro para quem quiser participar dos estudos clínicos com a ButanVac como voluntário. Os interessados podem se inscrever pelo site.

______________________________________________________________________________________________________________________________

Informe publicitário

______________________________________________________________________________________________________________________________

Fila virtual na cidade de SP

A Prefeitura de São Paulo lançou na terça-feira (15) o De Olho Na Fila, uma página que mostra a espera nos postos de vacinação da capital. Segundo o secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido, o Filômetro é um recurso complementar ao sistema de escalonamento por faixas etárias que deverá ser mentido 15 de setembro, quando deve se encerrar a aplicação da primeira dose no último grupo, que irá dos 18 e 24 anos.

  • Os locais de atendimento estão divididos por categorias: postos fixos, postos volantes, drive-thrus e megapostos. Os fixos são subdivididos geograficamente: Centro, Leste, Norte, Oeste ou Sul;
  • A situação das filas é atuazliada a cada poucas horas de acordo com cores: Verde para sem filas; Amarelo para fila pequena; Laranja para fila média; Vermelho para fila grande; e Cinza quando os dados estiverem indisponíveis.

Confira o esquema
Imagem de início/Foto reprodução Prefeitura de SP

Imagem de exemplo: Posto Volante /Foto reprodução Prefeitura de SP
Imagem de exemplo: Centro /Foto reprodução Prefeitura de SP

Governo japonês terá que decidir

O Japão decidirá ainda neste mês se permitirá a presença de público nas Olimpíadas de Tóquio, afirmou o principal porta-voz do governo nesta quarta-feira (16). O comunicado veio após especialistas aprovarem um plano para liberação de no máximo e 10 mil pessoas nos estádios. A decisão final será tomada levando em conta o ritmo das contaminações e a prevalência de variantes, afirmou o secretário-geral do governo, Katsunobu Kato. Vale lembrar que torcedores estrangeiros foram proibidos.

Califórnia tira as máscaras

Para o governador Gavin Newson, a medida é uma sinalização positiva para o verão

Com 47,2% de sua população imunizada, a Califórnia revogou as principais restrições de saúde na terça-feira (15), meses depois de se tornar o primeiro estado americano a se fechar para evitar a disseminação do coronavírus. Com a taxa de imunização próxima de 70%, San Francisco pode ser a primeira grande cidade dos EUA a atingir a imunidade coletiva, apontam as autoridades de saúde. Os residentes vacinados agora podem ficar sem máscaras na maioria dos locais. As exceções são transporte público, hospitais, centros para desabrigados, prisões, escolas para menores de 12 anos e creches – crianças ainda não foram vacinadas. A mudança foi anunciada como a “grande reabertura”. No pico da pandemia, em 26 de dezembro, o estado alcançou 64.987 contaminações.

SP informa

A infectologista Rosana Richtmann afirma: “A pandemia estará controlada quando a transmissão deixar de estar sustentada no nível elevado como está”. Confira:

Fiocruz informa

Fonte: Twitter @Fiocruz

Painel Coronavírus

Vacinados (cumulativos)
• 2,45 bilhões no mundo (32,66% da população)
• 80,27 milhões no Brasil (38,04% da população)

Segunda dose *
• 680 milhões no mundo (9,5% da população)
• 23,79 milhões de brasileiros (11,2% da população)
* dados aproximados

Leitos de UTI
• 80% * de ocupação total em 15 estados brasileiros e o DF
* Não há uma contagem sistemática e centralizada dos leitos de UTI disponíveis nas redes pública e privada do país. O levantamento de MR é baseado nas informações veiculadas na imprensa

Casos confirmados no Brasil
• 17.628.588 – acumulado
• 95.367 – novos infectados
• 16.030.601 – recuperados
• 1.104.294 – em acompanhamento
• 8.388,7 – incidência por grupo de 100 mil habitantes

Mortes confirmadas no Brasil
• 493.693 – óbitos acumulados
• 2.997 – novas vítimas fatais
• 2,8% – letalidade
• 234,9 – mortalidade por grupo de 100 mil habitantes

Dados atualizados em 16/06/21 – 19h30

Fontes: Ministério da Saúde, consórcio de veículos de imprensa, Universidade Johns Hopkins (EUA) e Fiocruz

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.