Document
PATROCINADORES

Nº 188: laboratório animal; Cepa América; Amazonas na CPI

Alternativa veterinária

A Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (15) um projeto de lei do Senado que autoriza fábricas de vacinas veterinárias a produzirem, temporariamente, imunizantes contra a covid-19. Devido às emendas, o texto retornará ao Senado para nova apreciação. De acordo com a deputada Aline Sleutjes (PSL-PR), esses laboratórios também poderão produzir ingredientes farmacêuticos ativos (IFAs).

  • Enquanto produzirem vacinas para uso humano, os laboratórios veterinários estarão sujeitos à fiscalização e às normas da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa);
  • Na análise dos pedidos, a Anvisa deverá considerar a capacidade de produção dos estabelecimentos solicitantes para que não haja desabastecimento dos demais laboratórios;
  • Para as empresas adaptarem suas instalações, o governo poderá conceder algum incentivo fiscal.

O que MONEY REPORT publicou hoje

Prefeitura de SP reorganiza fila da vacina

A prefeitura da capital paulista informou nesta terça-feira (15) o escalonamento das datas para a vacinação do grupo entre 50 e 59 anos, composto de 1,5 milhão de pessoas. O fracionamento, reservando um dia específico para cada idade, foi pensado para evitar filas e aglomerações. Por ser uma recomendação da gestão municipal, a iniciativa não impede ninguém de se antecipar ou tomar a dose fora da data indicada para a sua faixa etária.

Veja como ficou:

  • Terça-feira (15): 58 e 59 anos
  • Quarta-feira (16): 56 e 57 anos
  • Quinta-feira (17): 54 e 55 anos
  • Sexta-feira (18): 52 e 53 anos
  • Sábado (19): 50 e 51 anos
  • Segunda-feira (21) e terça-feira (22): repescagem das idades anteriores

Contaminados na Copa América

Brasil x Venezuela pela primeira rodada da Copa América 2021

Os protocolos prometidos pelo Ministério da Saúde para evitar contaminações não parecem surtir efeito e agora os casos de coronavírus na Copa América somam 52 entre jogadores, integrantes das comissões técnicas e prestadores de serviços. A Saúde atualizou os dados nesta terça-feira (15). Até a noite de segunda-feira (14), eram 41 contaminações relacionadas à competição. Um crescimento de 26% em menos de 24 horas. A pasta informou que, dos 52 casos, 33 são de jogadores e membros das delegações e 19, de contratados pela Conmebol. A Saúde informou que foram realizados 3.045 testes de RT-PCR.

Alerta chileno estendido

Diante do aumento de contágios, o governo do Chile anunciou a manutenção até 30 de setembro do alerta sanitário. Na semana anterior, subprefeituras da capital Santiago que haviam levantado a quarentena recuaram ao confinamento, mesmo com a avançada campanha de vacinação, que já atendeu 75,8% dos chilenos com a primeira dose e 59,2% com a segunda.

600 mil americanos mortos

Os Estados Unidos ultrapassaram o patamar das 600 mil vítimas fatais por coronavírus, informa a Universidade Johns Hopkins. As médias móveis dos últimos 7 dias até 14 de junho foram de 14.020 novos casos e de 412 mortes. No pico da pandemia, em 12 de fevereiro, atingiu 5.463 mortes em 24 horas, um recorde global. Os EUA têm 44,2% da população totalmente imunizada.

O que Câmpelo disse à CPI

O resumo do que o ex-secretário estadual de Saúde do Amazonas, Marcellus Campêlo, falou à CPI da Pandemia.

  • Leitos: foi questionado pelo senador Eduardo Braga (MDB-AM) sobre os leitos fechados no Hospital Delphina Rinaldi Abdel Aziz, de Manaus. “Eram três andares fechados”, enquanto o estado gastava com a abertura de hospitais de campanha e utilizava salas de cirurgia para suprir a demanda. O secretário não respondeu.
  • Operação Sangria: sobre o uso de verba federal, o ex-secretário explicou ter sido alvo de prisão temporária pela Polícia Federal por três suspeitas envolvendo o hospital Nilton Lins. Ele negou todas. Sobre as contratações fraudulentas: “O que houve foi uma requisição administrativa e nenhum pagamento foi efetuado”. Sobre irregularidades na contratação de empresas prestadoras de serviços: disse que nenhuma das empresas citadas no processo foi contratada. Sobre a unidade de saúde ser inadequada: “Fizemos as readequações necessárias”.
  • TrateCov: relatou que durante colapso fez 8 solicitações de auxílio ao governo federal para suprimentos de oxigênio hospitalar sem ser atendido. Porém, em 12 de janeiro, o Ministério da Saúde esteve no Amazonas para lançar o aplicativo TrateCov: “Não sabíamos o que era”.
  • Licitação: o senador Marcos Rogério (DEM-RO) o questionou sobre a Lei de Licitações. O estado poderia ter pedido um aditivo de 25% do contrato até 23 de novembro, conforme o previsto e, se necessário, fazer uma nova licitação de emergência., em vez de ter deixado tudo para a última hora. O presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM) destacou que depender só da White Martins foi uma estupidez e que o estado deveria ter ampliado sua gama de fornecedores.
  • Sem resposta: a White Martins alertou sobre o aumento da demanda por oxigênio hospitalar 6 meses antes do colapso, conforme os documentos obtidos pela CPI, mas o nenhuma providência foi tomada. Confira:

Israelenses tiram as máscaras

Jovens se abraçam em calçadão da praia em Tel Aviv, Israel, após controle do contágio

Em Israel não é mais obrigatório usar máscaras em ambientes fechados. Com a campanha de vacinação mais avançada do mundo, o país decidiu retirar uma de suas últimas restrições nesta terça-feira (15). Desde abril, o uso era opcional em locais abertos. Há exceções, como em aviões. Indivíduos não vacinados devem manter a proteção facial em lares de idosos e instalações de saúde, assim como funcionários de unidades de saúde. Quase 60% da população dos 9,3 milhões de habitantes já recebeu as duas doses. As médias móveis dos últimos 7 dias até 14 de junho para novos casos e mortes foram 14 e 1, respectivamente, informa a Universidade Johns Hopkins. Por causa das novas cepas, o governo mantém cautela sobre a entrada de estrangeiros.

______________________________________________________________________________________________________________________________

Informe publicitário

______________________________________________________________________________________________________________________________

Itamaraty comprometido

O Ministério das Relações Exteriores escondeu datas, horários e informações de e-mails e telegramas que mostram as negociações do governo brasileiro para adquirir cloroquina em detrimento de vacinas em 2020. As mensagens foram solicitadas via Lei de Acesso à Informação pela agência Fiquem Sabendo. Negar fornecer informações públicas fere a legislação. Os e-mails originais, com a íntegra das informações, mostram a agilidade do governo Jair Bolsonaro para comprar o medicamento, como revelou o jornal O Estado de S.Paulo, nesta terça-feira (15). As mensagens foram respondidas por integrantes do governo em 15 minutos, à noite e aos finais de semana. Já à Pfizer, o governo demorou mais de dois meses e deixou acumular 81 mensagens eletrônicas sem resposta, conforme relevado na CPI da Pandemia. A Fiquem Sabendo havia solicitado a íntegra da troca de comunicação entre as embaixadas brasileiras, o governo indiano e as empresas interessadas na importação de cloroquina. A série de 54 e-mails expõe a postura proatividade em liberar cargas de matéria-prima para a hidroxicloroquina às empresas fabricantes do medicamento no Brasil.

Johnson adia relaxamento

Johnson visita o Colchester Hospital

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, adiou para 19 de julho os planos de suspender totalmente as restrições de lockdown no país. Ele alertou que a variante Delta pode matar milhares. Em um plano traçado em fevereiro, o premiê esperava descartar a maioria das normas de distanciamento e isolamento em 21 de junho, quando pubs, restaurantes, clubes noturnos e outros estabelecimentos poderiam reabrir totalmente. A situação será revista em 28 de junho, mas o porta-voz de Johnson explicou que uma antecipação é improvável.

Indígenas vacinados

Pelo menos 82% dos 755 mil indígenas cadastrados no Ministério da Saúde receberam a primeira dose da vacina, sendo que 71% já recebeu a segunda também. O balanço foi divulgado nesta terça-feira (15). Foram 20 missões em seis mil aldeias.

Todos os ingleses

Todos os adultos residentes na Inglaterra poderão agendar sua primeira vacinação contra covid-19 a partir deste final desta semana, afirmou o chefe do NHS (sistema público de saúde do Reino Unido).

Capitã Cloroquina vacinada

Mayra Pinheiro com seu comprovante da primeira dose: a segunda está marcada para 5 de setembro

A secretária de Gestão do Trabalho e da Educação em Saúde do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro, a Capitã Cloroquina, divulgou em seu Instagram que recebeu a primeira dose do imunizante da AstraZeneca/Oxford. “Devidamente vacinada contra a covid-19”, escreveu. Ela ganhou notoriedade por ser defensora do tratamento precoce com medicamento sem eficácia comprovada, como cloroquina e ivermectina. Durante a CPI da Pandemia, ela declarou ser a favor das vacinas, mas observou que tudo é incerto na pandemia.

SP informa

A infectologista Rosana Richtmann afirma: “Após o diagnóstico de covid-19, independentemente do quadro, grave ou leve, aguarde o intervalo de 4 semanas para tomar a primeira dose ou a segunda da vacina”. Confira:

Zap da Fiocruz

Fonte: Twitter @Fiocruz

Painel Coronavírus

Vacinados (cumulativos)
• 2,42 bilhões no mundo (32,26% da população)
• 78,91 milhões no Brasil (37,39% da população)

Segunda dose *
• 680 milhões no mundo (9,4% da população)
• 23,8 milhões de brasileiros (11,1% da população)
* dados aproximados

Leitos de UTI
• 80% * de ocupação total em 15 estados brasileiros e o DF
* Não há uma contagem sistemática e centralizada dos leitos de UTI disponíveis nas redes pública e privada do país. O levantamento de MR é baseado nas informações veiculadas na imprensa

Casos confirmados no Brasil
• 17.533.221 – acumulado
• 80.609 – novos infectados
• 15.944.646 – recuperados
• 1.097.879 – em acompanhamento
• 8.343,3 – incidência por grupo de 100 mil habitantes

Mortes confirmadas no Brasil
• 490.696 – óbitos acumulados
• 2.468 – novas vítimas fatais
• 2,8% – letalidade
• 233,5 – mortalidade por grupo de 100 mil habitantes

Dados atualizados em 15/06/21 – 20h30

Fontes: Ministério da Saúde, consórcio de veículos de imprensa, Universidade Johns Hopkins (EUA) e Fiocruz

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.