Document
PATROCINADORES

Nº 173: a Cepa das Américas vai contagiar o Brasil; Serrana maravilha; palanque vacinal

Coronavírus com a bola toda

O Brasil se tornou a bola da vez ao aceitar abrigar a próxima Copa América de seleções, competição que deveria ocorrer na Argentina, mas foi cancelada por causa da pandemia. As críticas nacionais e internacionais não cessam. Alejandro Domínguez, presidente da confederação Sul-Americana de Futebol, a Conmebol, afirmou que o Planalto foi célere. “O presidente [Rogério] Caboclo [CBF] conversou com o presidente Jair Bolsonaro, que apoiou a iniciativa de imediato. Teve o aval dos Ministérios da Casa Civil, da Saúde, das Relações Exteriores e da Secretaria Nacional do Esporte”, afirmou. Ou seja, depois de ficar comprovado que o governo ignorou a aquisição de vacinas por meses, às vésperas de uma terceira onda, com cepas mais contagiosas em circulação, foi decidido de última hora que levas de torcedores estrangeiros poderão ficar amontoados em estádios. A Colômbia deveria sediar o evento, mas desistiu em 20 de maio, quando acumulava 3,3 milhões de casos e mais de 88 mil óbitos. A Argentina abandonou após somar 3,6 milhões de casos, com mais de 76 mil mortes. Já o Brasil soma 16,5 milhões de casos e 462 mil óbitos. “O Brasil vive um momento de estabilidade [em relação à pandemia]”, afirmou Domínguez, com total irresponsabilidade. A Copa América ocorrerá entre 13 de junho e 10 de julho e deve contar com 10 participantes.

O que MONEY REPORT publicou hoje

Mortes no Brasil

Nos primeiros 4 meses de 2021, os brasileiros morreram 64% a mais de causas naturais que o esperado, aponta um levantamento do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass). Realizado pela organização global de saúde Vital Strategies, estudo aponta que houve 211.847 mortes a mais que o esperado entre 1º de janeiro e 17 de abril. As mortes por causas naturais incluem as que ocorreram por doenças, como a covid-19. Confira:

Levantamento

  • A faixa etária mais atingida foi até 59 anos: alta de 84%;
  • Acima dos 60 anos, houve elevação de 58%. Os homens morreram mais, com alta de 68%, contra 61% das mulheres;
  • Mais populosa, a Região Sudeste teve um crescimento de 46%, seguido do Nordeste, com 19%, do Sul, com 18%, Centro-Oeste, com 9%, e Norte, com 8%;
  • O estado com maior índice a mais de mortes foi o Amazonas, com 173%. O menor foi o Piauí, com 18%;
  • Por covid-19: até 1° de janeiro de 2021, o Brasil somava 195.411 mil mortes e 7.700.578 casos, com taxa de mortalidade de 25,3% por grupo de 1.000 habitantes. Até 17 de abril, a acumulado de óbitos ficou em 284.775 e as contaminações 11.693.838, a mortalidade ficou em 24,3%. Dados do Ministério da Saúde.

Serrana (SP) perto de controlar a pandemia

Praticamente toda a população adulta da cidade de Serrana, no interior paulista, foi vacinada com a Coronavac pelo Instituto Butantan. Os resultados preliminares do Projeto S foram divulgados nesta segunda-feira (31). A pesquisa mostra o caminho para controlar a pandemia. Os imunizados perfazem 60% dos 45,6 mil habitantes. Também foi comprovado que a CoronaVac protege contra variante brasileira (P1), em circulação na região. Menores de 18 anos, gestantes e lactantes ainda não foram autorizados a participar.

Fiocruz assume a dianteira

Nesta segunda (31), a Fiocruz ultrapassou o Instituto Butantan como maior fornecedora de vacinas contra a covid-19 no Brasil. São 47,6 milhões de doses da AstraZeneca/Oxford contra 47,2 milhões da CoronaVac.

Promessas vacinais

Os ministros da Saúde, Marcelo Queiroga, e da Economia, Paulo Guedes, afirmaram na segunda-feira (31) que o Brasil vacinará toda sua população até o final do ano. A afirmação ocorreu durante o Fórum de Investimentos Brasil 2021. “Não faltarão recursos para [a importação e a produção de] vacinas”, garantiu Guedes. Queiroga afirmou ter certeza que até o final de 2021 conseguirá imunizar todos os cidadãos. O governador paulista, João Doria (PSDB), repetiu hoje o compromisso de 17 de fevereiro de ter 100% da população do estado totalmente inoculada até o final do ano. Dessa vez ele foi mais preciso, citando a “população vacinável”, que são adultos a partir dos 18 anos. Doria quer contratar 30 milhões de doses adicionais da CoronaVac, o que garantiria mais 15 milhões de pessoas completamente atendidas. Com 46 milhões de habitantes, São Paulo hoje tem 12,31% de completamente imunizados, o que dá 5,69 milhões. O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), foi cobrado no Twitter pela entrega das 140 milhões de doses referentes aos meses de março, abril e maio. O prazo termina hoje às 23h59.

Mortes quase triplicam no Peru após revisão

Autoridades peruanas revisaram os dados disponíveis e concluíram, oficialmente, que a quantidade de mortos por covid-19 é de 180.764. Um crescimento de 160% em relação ao registro anterior, de 69.342. A revisão mostra a gravidade e descontrole da calamidade, com infecções também muito acima dos atuais 1,89 milhões. O Peru é apontado como um dos países mais atingidos pela pandemia na América Latina.

Variantes renomeadas

À medida que novas variantes do coronavírus continuam a ser descobertas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) definiu novos nomes, adotando as letras do alfabeto grego para simplificar a discussão e evitar os estigmas de origem (Reino Unido, África do Sul, Brasil e Índia). De agora em diante, serão adotados Alpha, Beta, Gama, Delta e assim por diante, de acordo com a ordem da detecção.

Painel Coronavírus

Vacinados
• 1,9 bilhão no mundo (25,3% da população)
• 67,09 milhões no Brasil (31,7% da população)

Segunda dose
• 421 milhões no mundo (5% da população) *
• 20 milhões de brasileiros (9,49% da população)
* dados arredondados

Quando será a minha vez?
Não há dia certo, porém no link da plataforma “Quando vou ser vacinado” é possível obter uma estimativa. Como os dados são atualizados quase todos os dias, as expectativas mudam de acordo com a quantidade de doses aplicadas, grupos atendidos, faixas etárias e estado. Confira.

Leitos de UTI
• 80% * de ocupação total em 18 estados brasileiros e o DF
* Não há uma contagem sistemática e centralizada dos leitos de UTI disponíveis nas redes pública e privada do país. O levantamento de MR é baseado nas informações veiculadas na imprensa

Casos confirmados no Brasil
• 16.545.554 – acumulado
• 30.434 – novos infectados
• 14.964.631 – recuperados
• 1.118.132 – em acompanhamento
• 7.873,3 – incidência por grupo de 100 mil habitantes

Mortes confirmadas no Brasil
• 462.791 – óbitos acumulados
• 860 – novas vítimas fatais
• 2,8% – letalidade
• 220,2 – mortalidade por grupo de 100 mil habitantes

Dados atualizados em 31/05/21 – 20h30

Fontes: Ministério da Saúde, consórcio de veículos de imprensa, Universidade Johns Hopkins (EUA) e Fiocruz

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.