PATROCINADORES

Nº 103: OMS de olho no Brasil; Justiça do CE coloca idosos na frente; Maduro acusa Bolsonaro

Aqui, onde mais morre gente

A semana entre 15 e 21 de março foi a pior da pandemia no Brasil até agora. O país somou 25% das mortes no mundo. Das 60,2 mil vidas perdidas à covid-19, 15,6 mil ocorreram no Brasil, aponta a Organização Mundial da Saúde (OMS). Foi o dobro de mortes dos Estados Unidos, o segundo país onde mais gente morreu no período. O Brasil representa metade das mortes no continente americano e se aproxima do total registrado na Europa. Enquanto a crise sanitária brasileira se aprofunda, o país passa a ser alvo de um exame por parte do grupo criado pela OMS para avaliar como cada um dos governos reagiu à pandemia. A pesquisa será confidencial – de início – e deve ser concluída em maio. Uma das críticas de especialistas internacionais é a forma como o chefe do governo se porta perante a emergência, com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) descumprindo qualquer protocolo de distanciamento social. Na imagem em destaque, ele participa do lançamento de uma obra rodoviária em Jacinto, Minas Gerais, em 17 de dezembro. Como de praxe, ele participou de aglomerações.

CoronaVac do Brasil

O Instituto Butantan quer entregar 100 milhões de doses até 30 de agosto

O Instituto Butantan entregou mais um lote de 1 milhão de doses da CoronaVac nesta segunda-feira (22). O total de vacinas oferecidas por São Paulo ao Plano Nacional de Imunizações (PNI) chega a 25,6 milhões desde 17 de janeiro, quando começou a vacinação. Até o final de abril, o total de vacinas garantidas pelo Butantan ao país deve somar 46 milhões, atingindo 100 milhões no final de agosto.

Milhares de prefeituras

A Frente Nacional de Prefeitos lançou o consórcio Conectar nesta segunda-feira (22). O grupo vai iniciar tratativas com farmacêuticas e fornecedores de insumos médicos. Até o momento, 2.599 prefeituras manifestaram interesse, porém a legislação brasileira exige que cada município aprove uma lei específica sobre o tema. Até o momento, 1.731 já criaram normas municipal.

Passaporte digital para imunizados

“Precisamos de tecnologias que garantam a circulação segura”: Felipe Carreras (PSB-PE)

Um projeto de lei em tramitação na Câmara quer alterar a Lei de Vigilância Epidemiológica para criar o Passaporte Digital de Imunização – documento eletrônico que atestaria a vacinação. O objetivo é aumentar o controle sanitário. Se aprovado, deverá ser homologado pelo Ministério da Saúde e emitido pelo Ministério da Economia ou por empresas e entidades credenciadas. O autor do texto é o deputado Felipe Carreras (PSB-PE). A ideia pode parecer boa, mas só faria sentido quando uma parte significativa da população estiver imunizada.

Eficaz para crianças

A CoronaVac demonstrou ser segura e eficaz em crianças e adolescentes, apontam os resultados preliminares de testes realizados pela Sinovac em 500 crianças e adolescentes com idades entre 3 e 17 anos que receberam duas doses médias ou baixas da vacina ou placebo. As reações adversas registradas foram brandas como febre, explicou o pesquisador Zeng Gang da farmacêutica durante uma conferência acadêmica em Pequim nesta segunda-feira (22). Os dados ainda não foram publicados em um periódico científico.

Justiça manda Ceará atender idosos primeiro

O desembargador Fernando Braga, do Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5), suspendeu no domingo (21) a vacinação no Ceará de profissionais de saúde que não trabalhem na linha de frente. A decisão estabeleceu que a prioridade deve ser das pessoas acima de 60 anos. A Justiça Federal atendeu a recursos do Ministério Público Federal (MPF) e do Ministério Público do Ceará (MP-CE). A liminar determina que o governo do Ceará e a prefeitura de Fortaleza readaptem seus planos de imunização. Em nota, a secretaria estadual de Saúde afirmou que “já havia orientado aos municípios para priorização da vacinação nos idosos a partir de 60 anos”.

Variante brasileira atinge Venezuela

Nicolás Maduro criticou a condução do governo brasileiro na pandemia

A Venezuela iniciou nesta segunda-feira (22) uma “quarentena radical” para combater a nova onda de casos no país. A medida foi anunciada pelo presidente Nicolás Maduro em pronunciamento na TV estatal na noite de domingo (21). O lockdown deve durar duas semanas. De acordo com Maduro, a segunda onda está diretamente relacionada à variante brasileira. “O Brasil é uma ameaça ao mundo. Por culpa de quem? De Jair Bolsonaro, que em meio ao colapso, em vez de pedir ajuda aos distintos setores [médicos, científicos e políticos], o que faz é confrontar para que o povo não faça quarentena”.

O que mais MONEY REPORT publicou

Painel Coronavírus

Dados atualizados em 22/03/21 – 19h

Vacinados

  • 448,1 milhões no mundo * (5,97% da população)
  • 13,5 milhões no Brasil * (6,39% da população)
    * Considerando as duas doses

Leitos de UTI

  • 90% de ocupação total em 19 estados brasileiros*
    * Não há uma contagem sistemática e centralizada dos leitos de UTI disponíveis nas redes pública e privada do país. O levantamento de MR é baseado nas informações veiculadas na imprensa

Casos confirmados
• 12.047.526 – acumulado
• 49.293 – novos infectados
• 10.507.995 – recuperados
• 1.244.106 – em acompanhamento
• 5.733 – incidência por grupo de 100 mil habitantes

Mortes confirmadas
• 295.425 – óbitos acumulados
• 1.383 – novas vítimas fatais
• 2,5% – letalidade
• 141 – mortalidade por grupo de 100 mil habitantes

Fontes: Ministério da Saúde, consórcio de veículos de imprensa, Universidade Johns Hopkins (EUA) e Fiocruz

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10 − 10 =

Pergunte para a

Mônica.