PATROCINADORES

Nº 102: estão esticando a corda, apelo de economistas e estoque liberado

O presidente Jair Bolsonaro completou 66 anos neste domingo (21) e ganhou uma festa improvisada de apoiadores na frente do Palácio da Alvorada. Bolsonaro aproveitou a aglomeração para reiterar as críticas em relação às medidas mais rígidas que estão sendo tomadas pelos governadores para conter o agravamento da pandemia, como o toque de recolher. “Eles estão esticando a corda, faço qualquer coisa pelo meu povo”, afirmou. “Qualquer coisa é o que está na Constituição, democracia e direito de ir e vir. Podem confiar na gente. Vocês me deram esse voto de confiança. Só Deus me tira daqui. Enquanto for vivo e estiver aqui, estarei com vocês. Não abriremos mão desse poder que vocês nos deram por ocasião das eleições de 2018”, completou.

Em defesa de um lockdown nacional

Cerca de 200 economistas lançaram uma carta intitulada “País Exige Respeito; a Vida Necessita da Ciência e do Bom Governo”, com sugestões do que deve ser feito para o Brasil controlar a pandemia da covid-19. A mensagem, divulgada pelo colunista Merval Pereira, no jornal O Globo, classifica como “desoladora” a situação econômica e social do país. Entre as medidas estão acelerar o ritmo da vacinação, incentivar o uso de máscara e até mesmo a possibilidade de adoção de um lockdown nacional. Assinam a carta quatro ex-ministros da Fazenda (Marcilio Marques Moreira, Pedro Malan, Mailson da Nóbrega e Rubem Ricupero) e cinco ex-presidentes do Banco Central (Afonso Celso Pastore, Arminio Fraga, Gustavo Loyola, Ilan Goldfajn e Pérsio Arida), além de ex-presidentes do BNDEs (Edmar Bacha, Eleazar de Carvalho).

Saúde libera estoque

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, autorizou a utilização imediata de todas as vacinas contra a covid-19 que foram entregues aos estados e municípios. Inicialmente, a orientação da pasta era pela manutenção de estoques para aplicação da segunda dose dos imunizantes, mas, diante da confirmação de entregas semanais pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e pelo Instituto Butantan, a medida foi tomada para ampliar o número de vacinados em todo o país. “Com a liberação para aplicação de imediato de todo o estoque de vacinas guardadas nas secretarias municipais, vamos conseguir dobrar a aplicação esta semana, imunizando uma grande quantidade da população brasileira, salvando e protegendo mais vidas” disse o ministro.

Rio copia São Paulo

Assim como a prefeitura de São Paulo, o governo do Rio de Janeiro avalia antecipar os feriados de abril para março na tentativa de reduzir a circulação de pessoas e desacelerar o aumento de casos, internações e óbitos por covid-19. A proposta prevê criar um feriado prolongado entre 26 de março e 4 de abril. Além dos feriados de Tiradentes (21 de abril) e da Semana Santa, seria adiantado também o feriado estadual do Dia de São Jorge, comemorado em 23 de abril.

Desrespeito

A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo informou que apenas na madrugada de sábado para domingo foram encerradas 39 festas clandestinas e realizadas 4.008 dispersões e 28,6 mil abordagens. Em uma das ações, na zona sul da capital paulista, a polícia flagrou 60 pessoas que estavam aglomeradas em um bar. No total, desde 26 de fevereiro, já foram interrompidas 619 festas clandestinas por descumprimento das normas sanitárias e de restrição de circulação.

Painel Coronavírus
Dados atualizados em 21/03/21 – 19h30

Vacinados
440,5 milhões no mundo*
13,5 milhões no Brasil*
Considerando as duas doses

Casos confirmados
• 11.998.233 – acumulado
• 47.774 – novos infectados
• 5.709,4 – incidência por grupo de 100 mil habitantes

Mortes confirmadas
• 294.042 – óbitos acumulados
• 1.290 – novas vítimas fatais
• 2,5% – letalidade
• 139,9 – mortalidade por grupo de 100 mil habitantes

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

14 − dez =

Pergunte para a

Mônica.